Mais de 70 policiais feridos em protestos contra expansão de mina na Alemanha

Ao menos 70 policiais ficaram feridos no sábado (14) em uma manifestação contra a expansão de uma mina de carvão a céu aberto em Lützerath, no oeste da Alemanha, que contou com a presença da ativista ambiental sueca Greta Thunberg, informou a polícia neste domingo (15).

As forças de segurança e manifestantes entraram em confronto durante o protesto que reuniu milhares de pessoas ━ 35 mil, segundo os organizadores, e 15 mil, de acordo com a polícia.

Os ativistas ainda tentaram invadir áreas proibidas da mina de lignito na vila no oeste da Alemanha.

Jornalistas da AFP que estavam no local presenciaram os embates em que dezenas de manifestantes ficaram feridos devido a mordidas de cães da força de segurança e canhões de água, segundo o coletivo Lützerath lebt! (Lützerath vive!).

Pelo menos 20 pessoas foram levadas ao hospital, de acordo com o socorrista Birte Schramm.

O protesto foi organizado com apoio dos militantes que ocupam o local abandonado e contou com a liderança simbólica da ativista sueca Greta Thunberg.

A operação de dispersão do local começou nesta semana e mobilizou reforços policiais de toda a Alemanha.

A mina, uma das maiores da Europa, é operada pela empresa energética RWE.

O Poder Executivo alemão considera necessária a extensão da mina para garantir a segurança energética da Alemanha, compensando a interrupção do abastecimento de gás russo, razão que os protestantes rejeitam, alegando que as atuais reservas de lignito são suficientes.

bur-fec/gil/eg/mb/yr