Mais fogos na Amazónia em nove meses do que todo o ano de 2021

A Amazónia já registou em 2022, no espaço de nove meses, mais incêndios do que no total do ano passado, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Brasil.

A manter-se a tendência, deverá ser superado o recorde d de perto de 86.000 ocorrências registadas em 2010.

As dificuldades de acesso dificultam a tarefa dos bombeiros.

Edylton Gadelha Rola, bombeiro: "São locais muito distantes e os ramais muito difíceis para a gente passar e é longe, antes de chegar num ramal temos de andar aproximadamente 500 metros, um quilómetro. São nossas dificuldades por causa que nossos materiais são muito pesados."

Os dados oficiais contrariam o discurso do presidente brasileiro Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, na terça-feira, quando afirmou que a vegetação nativa do Brasil, que cobre "dois terços de todo o território brasileiro", está "exatamente como estava quando o Brasil foi descoberto em 1500".