Mais ousados e criativos, lavabos ganham destaque em projetos

Isabela Caban
·3 minuto de leitura

Um lugar de medidas enxutas, onde se passa pouco tempo na casa. Com esse argumento, a ordem, portanto, é ousar! Arquitetos e moradores têm feito verdadeiros experimentos no lavabo, cobrindo o ambiente de estampas, cores ou luzes fortes.

E o resultado é que esse cômodo com destino de coadjuvante vem crescendo rumo ao estrelato. Na casa da arquiteta Patricia Landau, da Escala Arquitetura, o ambiente tem até um certo ar de camarim, com chapéus pendurados e acesos, que, na verdade, são arandelas. Iluminam o papel de parede liberty, que reveste paredes até o teto, totalmente estampado em tons corais e cinza, sobre um fundo preto. “O papel traz uma atmosfera romântica, misturado com o chapéu peruano. Como amo artesanato, minha ideia foi usar esses itens femininos na decoração de forma divertida. O espelho meio marroquino, eu trouxe de viagem”, conta Patricia.

Misturar já é um verbo que a estilista Isabela Capeto conjuga com a maior facilidade — e harmonia. E em seu apartamento, no Flamengo, com reforma comandada pelo arquiteto Beto Figueiredo, da Ouriço Arquitetura e Design, o lavabo “causa”. Uma das paredes traz grandes folhas “costela de adão”, em tons de verde. A porta do lavabo é de madeira com vidro no meio, e ganhou uma outra estampa, em azul e amarelo. “É um mix de restos de tecidos meus, sempre trabalho com o que sobra, vou colocando em casa”, explica Isabela. Para completar, ela ainda pendurou quadrinhos com desenhos de insetos e uma foto p&b emoldurada, do casal icônico “je t’aime, moi non plus” Serge Gainsbourg e Jane Birkin — presente de uma amiga.

Em um apartamento de Ipanema, assinado pela Migs Arquitetura, o lavabo parece coberto por azulejos azuis, estilo português. Mas não é. Trata-se de um papel de parede. A dica é escolher uma estampa e colocar em todas as paredes. “As pessoas acham que é ao contrário, mas chama menos atenção o ambiente inteiro igual do que quando usamos em uma só. E o efeito visual fica mais interessante, sem pesar”, sugere Adriana Valle.

O efeito de estrelinhas brilhantes que o escritório Manga Rosa alcançou em um lavabo foi graças a um revestimento único — um monolítico, que é um granilite sob medida. “Ele é feito de uma vez só, mistura a massa e fica pronto na hora, mais artesanal”, explica uma das “mangas”, Marcela Olveira, que concorda em número, gênero e grau sobre apostar em uma estampa única pro espaço: elas revestiram até o piso e investiram em uma iluminação para chegar ao céu estrelado. “Deu uma potência visual muito grande.”

Para um casal apaixonado por obras de arte, a arquiteta Gisele Taranto preparou um charmoso banheirinho-mini galeria de arte. O cômodo seguiu a cara do apartamento, de estilo industrial, com uma luminária metálica e vaso sanitário preto. Para otimizar o espaço, Gisele lançou mão de um grande espelho e, no lugar de uma bancada convencional, escolheu fixá-la numa altura mais baixa e deixou a cuba mais alta, como um elemento decorativo. Nas paredes, claro, a coleção do casal pendurada.

Vale até bolar um projeto de luz especialmente para um lavabo. Em uma cobertura no Leblon, o cômodo ganhou atenção especial do arquiteto Maurício Nóbrega, que convidou o ligh designer Maneco Quinderé para dar aquele tchan. O ambiente pode ter cores diferentes, mudadas por um controle remoto. “O lavabo fica azul ou verde ou amarelo… Em diversas tonalidades. Uma grande brincadeira!”, conta Mauricio.