Mais de um terço dos pubs e restaurantes no Reino Unido reduzem horários para economizar na conta de energia

Pub em Londres

Por Muvija M

LONDRES (Reuters) - Mais de um terço dos pubs e restaurantes britânicos reduziram seus horários de funcionamento nos últimos três meses para conter os crescentes custos de energia, informou a agência de estatísticas do país.

Cerca de 6% dos bares, cafés e restaurantes decidiram fechar mais dois dias na semana, 7% abriram um dia a menos, enquanto 21% reduziram o horário de funcionamento, mas não o número de dias em que estão abertos, disse o Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês) nesta segunda-feira.

A redução nos horários de funcionamento é bem mais comum nessa área do que em outros setores da economia britânica, onde apenas 7% das empresas relataram isso.

Muitas empresas do setor de hospitalidade relataram ainda uma demanda reduzida, já que seus clientes também têm sido afetados pelo aumento nas contas de energia desde a invasão da Rússia na Ucrânia.

O governo britânico anunciou subsídios de energia temporários para empresas em setembro, mas o ONS disse que isso levou à pouca mudança na proporção de companhias de hospitalidade que dizem ter as contas de energia como sua maior preocupação.

No mês passado, o órgão de comércio UKHospitality disse que mais de um terço do setor corre o risco de falir no início do próximo ano devido à alta do custo de energia e outras contas, bem como à queda nos gastos do consumidor. A contratação de funcionários também é um desafio, acrescentou o órgão.

Contudo, mais negócios envolvendo comida e bebidas planejam permanecer abertas em novembro, de acordo com a pesquisa do ONS.

A preparação para o Natal é um importante período de receita para o setor, e neste ano muitos pubs esperam ganhar um impulso das pessoas que assistirão à Copa do Mundo no Catar.

A Wetherspoon, que opera quase 900 pubs no Reino Unido, disse na semana passada que está "cautelosamente otimista" sobre suas projeções, apesar da recente desaceleração.

(Reportagem de Muvija M)