Mais vacinas? Anvisa se reúne nesta sexta para deliberar sobre Sputnik V e Covaxin

·2 minuto de leitura
Vials with a dose of the Sputnik V vaccine against the COVID-19 coronavirus are seen before been applied during a vaccination day promoted by the municipality and supported by the state government in Caracas, on May 29, 2021. (Photo by Yuri CORTEZ / AFP) (Photo by YURI CORTEZ/AFP via Getty Images)
Serão reavalidadas as vacinas Sputnik V, da Rússia, e Covaxin, da Índia (Foto: YURI CORTEZ/AFP via Getty Images)
  • A partir das 14h, Anvisa vai deliberar sobre as vacinas Sputnik V e Covaxin

  • Os dois imunizantes já foram recusados pela agência reguladora anteriormente

  • Brasil já tem acordo de compra das duas vacinas

Na tarde desta sexta-feira (4), às 14h, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vai analisar dois pedidos de liberação de vacinas contra a covid-19:

  • Sputnik, da Rússia

  • Covaxin, da Índia

Os dois imunizantes já passaram pela Anvisa antes e tiveram a liberação negada – ambos de forma unânime pelo colegiado da agência.

Covaxin reprovada por falta de documentos

Em março, o Ministério da Saúde tinha protocolado um pedido para importar 20 milhões de doses da vacina indiana, mas a Anvisa alegou que faltam documentos e dados para liberar o imunizante. Além disso, a agência reguladora negou o certificado de boas práticas à empresa que desenvolveu a vacina, a Bharat Biotech.

Leia também

Para tentar mudar a decisão, o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos, responsável pela negociação, continuaram com as tratativas com a Anvisa para adequar os aspectos que levaram à reprovação em março.

Em maio, a Anvisa autorizou que a Bharat Biotech fizesse testes de fase 3 da Covaxin no Brasil.

Sputnik também foi negada

Em abril, a Anvisa também negou a importação da vacina russa Sputnik V. No Brasil, 14 estados tinham pedido para que fosse autorizada a entrada de 30 milhões de doses do imunizante.

O colegiado da Anvisa se reuniu de forma extraordinária após uma ação do Supremo Tribunal Federal, por causa de uma ação protocolada pelo governo do Maranhão. O estado era um dos que tinha assinado o acordo de compra com os russos.

Ao negar a autorização, a agência reguladora explicou que não recebeu o relatório técnico que pudesse comprovar que a vacina atendesse os padrões de qualidades pedidos pelo Brasil. Segundo a Anvisa, há diversas falhas de segurança associadas ao desenvolvimento da Sputnik V.

Vacinas já aprovadas

Até o momento, a Anvisa já aprovou quatro vacinas que podem ser utilizadas no Brasil:

  • CoronaVac

  • Oxford/AstraZeneca

  • Pfizer/BioNTech

  • Janssen

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos