IML confirma que corpo carbonizado é de bombeiro morto por traficantes; oficial foi condecorado por atuação na tragédia de Brumadinho

Um major do Corpo de Bombeiros foi sequestrado e morto por criminosos em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Segundo a TV Globo, informações da Polícia Civil indicam que ele estaria fotografando barricadas na região e foi descoberto. O major Wagner Bonin, era que lotado no Grupamento de Operações Aéreas (GOA) do Corpo de Bombeiros, foi capturado na tarde de quarta-feira. Em 2019, o militar chegou a receber uma condecoração por sua atuação na tragédia de Brumadinho.

Policial militar é preso em flagrante pela morte de outro agente na Zona Norte do Rio

Caso João Pedro: Justiça ouve duas testemunhas na segunda audiência sobre assassinato do adolescente

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 19h, policiais da corporação foram informados de que um carro com as mesmas características do veículo utilizado pelo militar estaria na região do Parque Columbia, na Pavuna, Zona Norte da capital fluminense. Agentes do 41º BPM (Irajá) foram à Rua Ibirubá, onde localizaram um corpo carbonizado no interior de um carro. A identificação foi feita na manhã desta quinta-feira, por meio da digital.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, que realizou perícia no local e tenta identificar os autores do crime.

Nas redes sociais, o secretário estadual de Defesa Civil e comandante dos bombeiros, Leandro Monteiro, lamentou a morte do militar e pediu que os responsáveis pelo crime sejam presos:

"Infelizmente marginais covardes acabaram de sequestrar o major Wagner Bonin em São João de Meriti. Confio na @PCERJ e na @PMERJ. Não mediremos esforços para prender esses assassinos. Nem um passo daremos atrás", disse.