Malásia libera corpo de Kim Jong-nam para Coreia do Norte

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anunciou nesta quinta-feira (30) que chegou a um acordo com o regime norte-coreano para a liberação do corpo de Kim Jong-nam, o meio-irmão do ditador Kim Jong-un.

Ele foi assassinado no aeroporto internacional de Kuala Lumpur em fevereiro com uso de gás VX, poderosa arma química banida em um tratado da ONU —não assinado pela Coreia do Norte.

Em troca pela liberação do corpo —que o regime não identifica como Kim Jong-nam, mas apenas como um norte-coreano—, Pyongyang permitiu que nove cidadãos malasianos deixassem a Coreia do Norte após dias impedindo-os de saírem do país.

Nos últimos dias, a negociação entre os dois países provocou tensão. O premiê da Malásia chegou a acusar Pyongyang de “efetivamente manter como reféns nossos cidadãos”.

A morte de Kim Jong-nam, visto como persona non grata pelo regime de seu meio-irmão, também levou a Coreia do Norte a expulsar o embaixador malasiano em Pyongyang depois que seu diplomata chefe em Kuala Lumpur foi expulso pela Malásia.

A Malásia acusou por homicídio as duas mulheres presas dias após o crime —uma vietnamita e uma indonésia.