Malafaia ‘explica’ fala de Mendonça sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo: 'Deu uma cama de gato'

·3 min de leitura

Depois de celebrar a aprovação do nome de André Mendonça, indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o pastor Silas Malafaia publicou um vídeo nas redes sociais, nesta quinta-feira, em que “explica” a declaração do ex-advogado-geral da União sobre defender o “direito constitucional” ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Para o pastor, a resposta de Mendonça foi, na verdade, uma “cama de gato” para uma “saída espetacular” ao que lhe foi perguntado.

“Essa história de que André Mendonça é a favor da união de pessoas do mesmo sexo, no parâmetro da Constituição, André Mendonça deu uma cama de gato. Ele sabia que ia sofrer pressão, (e deu) uma saída espetacular. Porque a Constituição só prevê casamentos de homem com mulher, (no) artigo 226, parágrafo terceiro”, afirmou Malafaia.

Porém, como lembrou Mendonça durante a sabatina, o STF reconheceu, em 2011, os direitos ao casamento entre pessoas do mesmo sexo da mesma forma à união entre homens e mulheres estabelecida na Constituição.

O vídeo de Malafaia foi publicado em sua conta no Twitter depois que seguidores do pastor evangélico o cobraram na rede alegando que Mendonça teria negado “vários princípios e valores cristãos” em busca de “alcançar tão almejado cargo de Ministro do STF”.

“Uma pena que na sabatina ele negou vários princípios e valores cristãos, negando em parte a cruz de Cristo, para alcançar o tão almejado cargo de Ministro do STF! Cristãos desse tipo tenho muito medo!”, escreveu um usuário na rede social.

Durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal, nesta quarta-feira, Mendonça afirmou que defenderá o "direito constitucional do casamento civil das pessoas do mesmo sexo" e que não é possível admitir "qualquer tipo de discriminação". Ele lembrou ainda a decisão do STF que equiparou o crime de homofobia ao de racismo, depois de ser questionado pelo senador Fabiano Contarato (Rede - ES) sobre como se posicionaria em relação ao assunto na Corte.

A fala foi recebida por alguns apoiadores nas redes com críticas, mas outros usuários relativizaram a declaração e alegaram que se tratava de “falar o que eles (senadores) querem ouvir” para conseguir a aprovação.

“Só não entendi uma coisa, ele afirmou que defenderá o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Isso me deixou com uma pulga atrás da orelha. Espero que não seja mais um como o Kassio Nunes Marques”, disse um seguidor de Malafaia.

“Ele estava num ninho de cobra, o contarato perguntou sobre casamento do msm sexo, se ele fala de acordo as leis divina, imagine o problema q ele ia ter? Ele ali tem que falar o que eles querem ouvir, aquilo só é uma formalização e não é parâmetro para nada”, rebateu outro usuário.

Malafaia chegou a avisar, na noite de ontem, que publicaria um vídeo hoje “explicando” a fala de Mendonça. Em publicação, afirmou que o indicado “não negou seus princípios” e que esclareceria a declaração para os evangélicos.

A indicação do ex-advogado-geral da União foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal por 47 votos a 32. Na época em que seu nome foi sugerido, Bolsonaro afirmou que se tratava de um ministro “terrivelmente evangélico” para ocupar uma vaga na Corte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos