Malawi convida Mike Tyson para ser embaixador da maconha no país

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Malawi pediu formalmente à estrela do boxe Mike Tyson para se tornar embaixador da cultura de maconha do país. O convite veio diretamente do ministro da Agricultura do país, Lobin Low, de acordo com o site inglês BBC. Além disso, a Associação de Cannabis dos Estados Unidos está disposta a ajudar Tyson.

“O Malawi pode não seguir sozinho, pois a indústria é complexa [e requer] colaboração. Portanto, gostaria de nomeá-lo, Sr. Mike Tyson, como embaixador do Ramo Cannabis do Malawi,” escreveu o Sr. Lowe na carta ao pugilista norte-americano. O país africano legalizou o a substância para uso medicinal em 2020.

Também empresário, o astro foi um dos pioneiros no investimento da área de cannabis. A marca Tyson Holistic é especializada na produção de produtos cuja base é a substância. A subsidiária mais popular é o Rancho Tyson.

A entrada no negócio, inclusive, foi responsável por reestabelecer financeiramente o boxeador após a falência. De acordo com a imprensa norte-americana, em 2019, os lucros dele em cima da cannabis giravam em torno de 500 mil dólares mensais.

Mas há um porém: O Centro de Responsabilidade Pública, organização civil do país, está receosa em relação à escolha e criticou a decisão de do Ministério da Agricultura, por conta do histórico agressivo de Tyson. O ex-boxeador já foi preso em 1992 por uma condenação de estupro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos