Manchester United adaptou Old Trafford para receber 'grande público' em meio às restrições

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Considerado um dos estádios mais bonitos e tradicionais do futebol mundial, o Old Trafford, casa do Manchester United, pode voltar a ser fator de desequilíbrio em favor do Diabos Vermelhos. Isso porque a diretoria do clube intensificou os estudos para implementar uma logística de retorno de público ao estádio, respeitando as diretrizes de distanciamento social impostas pelo governo do Primeiro Ministro Boris Johnson.

Em entrevista concedida ao 'Sky Sports News', o chefe de operações do Manchester United, Collette Roche, afirmou que o clube tem trabalhado forte nos últimos dois meses para viabilizar uma estratégia de retorno seguro de público ao Old Trafford, em um projeto que acomodaria quase 24 mil expectadores na casa sem burlar as determinações de ordem sanitária.

FBL-ENG-PR-MAN UTD-WEST HAM | MARTIN RICKETT/Getty Images
FBL-ENG-PR-MAN UTD-WEST HAM | MARTIN RICKETT/Getty Images

"É bastante confuso entender por que as pessoas podem se reunir em outros ambientes, como em um avião ou em um restaurante, ou mesmo no cinema para assistir ao futebol, quando sabemos que temos os planos e o projeto pronto para entregar, com segurança, um dia de jogo aqui. Passamos cerca de dois meses trabalhando com as diretrizes do governo para desenvolver os processos e medidas corretas, para garantir que possamos ter cerca de 23.500 pessoas neste estádio, com segurança e distanciamento social", afirmou.

É bem verdade que, perto da capacidade total de 76 mil expectadores, receber 23.500 pessoas está longe de ser o cenário que o Manchester United está habituado. Contudo, em comparação com o que vimos em países que começaram a flexibilizar a presença de público nos estádios, o projeto do United pode ser considerado 'ambicioso': jogos na França, por exemplo, vinham acontecendo com no máximo 5 mil pessoas presentes.

FBL-FRA-LIGUE1-RENNES-ANGERS | DAMIEN MEYER/Getty Images
FBL-FRA-LIGUE1-RENNES-ANGERS | DAMIEN MEYER/Getty Images

Apesar da 'proatividade' do Manchester e de seu grande interesse (esportivo e financeiro) na volta do público, não deve ser em 2020 que veremos as arquibancadas do futebol inglês preenchidas. Uma 'segunda onda' de contaminação pela covid-19 já atinge o Velho Continente, o que já vem implicando em medidas ainda mais severas de isolamento.