Mandetta diz que candidatura única de 3ª via virou teatro e que prefere não participar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
**Arquivo** BRASÍLIA, DF, 30-03-2020 -  Luiz Henrique Mandetta no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
**Arquivo** BRASÍLIA, DF, 30-03-2020 - Luiz Henrique Mandetta no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (União Brasil) diz que as negociações para uma candidatura única da terceira via viraram um "teatro". Ele virou as atenções para seu estado, o Mato Grosso do Sul, onde pretende disputar o Senado.

"Trabalhei muito por essa união. Instalei uma mesa democrática, divulgamos um manifesto. Mas depois o [João] Doria se lançou, o [Sergio] Moro, agora o [Luciano] Bivar. Todas candidaturas ditas irreversíveis. Prefiro não participar", afirma.

Os partidos União Brasil, MDB, PSDB e Cidadania afirmam que irão anunciar em 18 de maio o nome que representará uma candidatura única das quatro siglas à Presidência da República neste ano.

O movimento tenta definir a opção mais competitiva para concorrer contra o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) na disputa pelo Planalto.

Os nomes lançados pelas siglas são Luciano Bivar (União), Simone Tebet (MDB) e João Doria (PSDB). O ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite ainda tenta reverter o resultado das prévias internas da sigla para se colocar como o postulante tucano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos