Coronavírus: Mandetta diz que houve subnotificação e que casos devem aumentar

Por Lisandra Paraguassu
Mandetta e Bolsonaro, durante a coletiva desta quarta, no Planalto. (Foto: Andre Coelho/Getty Images)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quarta-feira que houve uma subnotificação de casos do novo coronavírus no país, mas ressaltou que os números agora devem subir.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Segundo Mandetta, que participa de entrevista coletiva do presidente Jair Bolsonaro com ministros no Palácio do Planalto sobre o Covid-19 --todos usando máscaras de proteção--, agora todos os laboratórios centrais estão capacitados para fazer os exames do coronavírus.

Leia também:

Mandetta também anunciou que foi interrompida nesta quarta-feira a exportação de itens que são importantes para tratamento da epidemia, especialmente respiradores. “As medidas agora são de espectro muito maior do que apenas o da saúde", disse.

MINISTÉRIO DA SAÚDE SUSPENDE COLETIVA

Por conta da coletiva presidencial, o Ministério da Saúde suspendeu a coletiva de imprensa da atualização dos dados nacionais consolidados. Na terça, os casos foram atualizados para 291.

Os estados que concentram mais casos são São Paulo, com 164 confirmações, e Rio de Janeiro, com 33 infectados confirmados pela Covid-19. Os dois estados também são os únicos a registrar transmissão comunitária - que ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção.

Enquanto isso, o número de casos suspeitos avançou para 8.819, crescimento de 6.755 na comparação com a véspera, diante de uma alteração na forma de checagem pelo ministério, que adotou uma classificação automatizada. Mais de 5.000 das suspeitas estão em São Paulo.

Além dos casos confirmados, o Ministério da Saúde contabilizava na terça-feira:

  • 8.819 casos suspeitos

  • 1.890 casos descartados

  • 28 pessoas estão hospitalizadas (10% do total)

A divulgação do Ministério da Saúde diz respeito aos casos confirmados que foram repassados para a pasta pelas secretarias de saúde dos Estados, até às 14h. A média de idade dos infectados no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, é de 42 anos. Cerca de metade dos casos ocorreram em pacientes com menos de 40 anos - 144 casos.

Confira as tabelas:

IDADE

  • < 40 anos —————— 144 casos (50%)

  • 40-49 anos ————— 50 casos (17%)

  • 50-59 anos ————— 45 casos (16%)

  • 60-69 anos ————— 34 casos (12%)

  • > 69 anos —————— 12 casos (4%)

  • Não informado ——— 6 casos (2%)

SEXO

  • Feminino: 148 casos (51%)

  • Masculino: 142 casos (49%)

  • Não informado: 1 (0%)

Fonte: Ministério da Saúde