Mandetta endossa crítica de Bolsonaro e diz que quarentenas por coronavírus foram precipitadas

Por Ricardo Brito
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em entrevista coletiva

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, endossou nesta quarta-feira as críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro às medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas por governadores para combater o coronavírus, afirmando que quarentenas foram decididas de forma precipitada.

"Tem que arrumar esse negócio de quarentena, foi desarrumado, foi cedo, foi precipitado", disse Mandetta em entrevista coletiva. "Ficou uma sensação de 'entramos, e agora como sai dela?'"

Leia também

O ministro disse que os governadores que adotaram medidas mais rigorosas de restrição de locomoção terão que se "reposicionar" rapidamente.

No entanto, num aceno aos governadores, defendeu que é preciso construir juntos uma saída coordenada que envolva governadores, prefeitos e o governo federal.

"A saúde não é uma ilha, não vamos tratar isoladamente, não existe apenas o coronavírus", disse.

Para o ministro, houve governos que tomaram decisões "muito assimétricas".

Mandetta disse que haverá momentos para se eventualmente decretar medidas mais drásticas de isolamento social, destacando, no entanto, que essas decisões têm de ser calibradas.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.