Mandetta mantém afirmação de que houve tentativa de alterar a bula da hidroxicloroquina

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  04-05-2021 - O ex ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 04-05-2021 - O ex ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse nesta terça-feira (1º) que mantém o relato que deu à CPI da Covid-19 afirmando que houve tentativa de alterar a bula da hidroxicloroquina.

O mesmo relato também foi apresentado pelo diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

A médica Nise Yamaguchi afirmou à CPI nesta terça que nunca houve uma minuta de decreto para ampliar o uso da hidroxicloroquina e incluir entre suas recomendações o uso para o tratamento da Covid-19.

O ex-ministro relatou à CPI que foi chamado a um gabinete no Palácio do Planalto, onde apresentaram uma sugestão de decreto para alterar a bula. Ele já havia revelado no ano passado essa tentativa, mas usou o exemplo para mostrar haver outras pessoas aconselhando o presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia.

Ao ser questionado pelo jornal Folha de S.Paulo se a médica estava mentindo, Mandetta disse que cabe à CPI investigar. "O Barra Torres confirmou a mesma coisa e eu já escrevi isso até no livro. Isso não é novidade nenhuma [mudança da bula], ela deve ter tido alguma amnésia e cabe ao Senado investigar."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos