Manejo de esgoto da Águas de Niterói em Camboinhas vira polêmica entre os moradores

Leonardo Sodré

NITERÓI - O manejo de esgoto feito pela Águas de Niterói em Camboinhas na última semana vem gerando polêmica entre os moradores. A concessionária diz que no dia 21, precisou redirecionar o efluente em dois pontos do bairro para um trecho seguinte da rede coletora, pois sistema ficou obstruídos por lixo e outros materiais lançados irregularmente. Vídeos mostram um caminhão igual ao utilizado na coleta do material estacionado ao lado do Canal do Camboatá, onde escorre líquido mais escuro que o do curso d'água no momento em que foram feitas as imagens. A empresa responsável pelo saneamento nega "veemente que os caminhões tenham descartados qualquer tipo de material" no local.

O procedimento de retirada de esgoto da rede foi realizado em pelo menos dois locais do bairro: nas ruas Projetada e Florestam Fernandes. Morador do bairro, o empresário e corretor de imóveis Marcos Gomes Silva, diz que passou pela Florestam Fernandes e viu um caminhão parado fazendo a retirada do material.

— Quando vi eles retirando esgotos de um tampão achei muito estranho, perguntei o que estava sendo feito porque passo ali todo dia e nunca tinha visto isso. Depois, comentei em um grupo do bairro e um vizinho mandou um vídeo, que ele fez da janela de casa, do mesmo caminhão despejando o esgoto no canal, pouco tempo depois — conta.

Segundo a Águas de Niterói, sua equipe realizou a manutenção na Elevatória de Esgoto, que estava com os equipamentos obstruídos e transportou o efluente para um trecho seguinte da rede coletora, que tem como destino final a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Camboinhas, na Rua Projetada. A concessionária diz que encaminhou, imediatamente, equipe de manutenção para executar os reparos necessários e normalizar a operação.

Sobre o vídeo em que um veículo ão idêntico ao usado na operação aparece ao lado do Canal do Camboatá no mesmo instante em que um líquido escuro e espeço escorre no local, a Águas de Niterói "nega veemente que os caminhões tenham descartados qualquer tipo de material" no curso d'água.

A prefeitura de Niterói ainda não respondeu sobre os procedimentos que irá tomar diante da denúncia.