Bolsonaro hostiliza repórteres em Roma, e segurança agride jornalistas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

ROMA, ITÁLIA — Uma tentativa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de fazer neste domingo mais um passeio por Roma, como nos dois últimos dias, terminou em confusão após os seguranças presidenciais e agentes do Estado italiano agredirem jornalistas brasileiros que acompanham a viagem.

Os agentes agrediram repórteres com socos e empurrões, tomaram o celular de um deles e seguraram as mochilas dos profissionais para tentar impedir que eles registrassem o passeio de Bolsonaro por uma das principais ruas do centro histórico da capital italiana.

Os agentes italianos, cedidos pelo governo local, anfitrião do G-20, dão apoio à segurança de Jair Bolsonaro desde que ele desembarcou no país, na última sexta, dia 29.

No sábado, os policiais italianos já tinham ameaçado jornalistas brasileiros que tentavam acompanhar o passeio de Bolsonaro pelas ruas próximas da embaixada, uma região sempre repleta de turistas.

A ação contra os jornalistas no início da noite deste domingo (hora de Roma) também atingiu acidentalmente apoiadores do presidente. Uma senhora que usava adereços da bandeira brasileira e gritava palavras de apoio a Bolsonaro foi jogada no chão pelos seguranças.

Os jornalistas começaram a perguntar ao presidente por que os seguranças estavam agredindo os profissionais. Ele parou, conversou um minuto com um dos agentes e decidiu retornar para a embaixada. A caminhada não durou mais de dez minutos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos