No Rio, manifestação reúne centenas em apoio à Lava Jato e contra a impunidade

Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil

Manifestação em Copacabana pede fim da impunidade e do foro privilegiado, em apoio à operação Lava Jato da Polícia Federal Fernando Frazão/Agência Brasil

Em apoio à Operação Lava Jato da Polícia Federal e contra o fim do foro privilegiado e da impunidade, a orla de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, foi palco na manhã de hoje (26) de uma manifestação que pedia também a renovação política. O ato foi promovida pelo Movimento Vem Pra Rua e reuniu centenas de pessoas.

A advogada Adriana Balthazar, porta-voz do movimento no estado do Rio de Janeiro, disse que o evento visa também a combater o voto em lista fechada, o aumento do fundo partidário, “que são as coisas que impediriam a renovação. O foro privilegiado manteria essa turma que está aí [no Congresso Nacional]”.

Segundo Adriana, o ato Chega de Impunidade repudia todas as manobras que os políticos corruptos fazem para se perpetuarem no poder ou não serem presos. "Hoje em dia, eu acho que a principal função até é não serem presos, é o foro privilegiado, o abuso de autoridade”.

Renovação

Formada em história da arte, a roteirista Márcia Abreu disse apoiar “incondicionalmente” a Operação Lava Jato e o juiz Sérgio Moro. “Vim principalmente por isso, contra o voto em lista. Isso é um desaforo. São políticos que já estão marcados para cair e estão querendo ter fôlego para se eleger em 2018. Não vão. É um acinte à população. É preciso renovar o Congresso", disse.

O estudante de história da Universidade Federal do Rio de Janeiro Gabriel Ferraz aproveitou o protesto para levantar a bandeira do parlamentarismo monárquico. Ele também defendeu a operação Lava Jato e o fim do foro privilegiado.

Já o administrador José Carlos Mendes lamentou que o comparecimento dos cidadãos não foi maior do que eventos anteriores organizados também pelo Vem Pra Rua. Disse que o ex-presidente Lula “disse uma série de besteiras, mas disse uma coisa certa: a política só muda pela política”.

Legislatura

Jorge Pontes, delegado da Polícia Federal, também compareceu ao evento e classificou o foro privilegiado como “abrigo de ladrões”. Ele disse que os políticos hoje têm o poder de acabar com o foro privilegiado e que em 2018 quem acabará são os próprios políticos. “O foro privilegiado deles caduca em 2018. Não elejamos ninguém dessa legislatura. Eleição zero em 2018. Vamos tocar a descarga desse Congresso Nacional. Vamos mandar essa elite anacrônica para o esgoto da história. Está nas nossas mãos”, lembrou.

O humorista Marcelo Madureira estava no evento e acredita que se a Operação Lavo Jato for até o final, “talvez nós tenhamos chance de, juntos, construirmos uma grande nação”. Para ele, isso depende de cada cidadão. “Cidadania é, antes de tudo, uma obrigação. Sabemos que é nossa obrigação de cidadão lutar pelo futuro da nossa pátria, por tempos melhores para nós, para os nossos filhos e para nossos netos”.

De acordo com o Movimento Vem pra Rua, as manifestações neste domingo ocorrem em 130 cidades de todo o país e também em Lisboa, em Portugal. No estado do Rio de Janeiro, estão programados atos também durante o dia nos municípios de Barra Mansa, Volta Redonda, Niterói, Arraial do Cabo, Barra do Piraí e Macaé.