Manifestante é presa ao protestar contra Bolsonaro em Porto Alegre

·2 minuto de leitura
Mulher que protestava contra o presidente Jair Bolsonaro é detida em Porto Alegre
Mulher que protestava contra o presidente Jair Bolsonaro é detida em Porto Alegre
  • Uma mulher foi detida enquanto protestava contra o presidente Jair Bolsonaro em Porto Alegre

  • A manifestante fez um "panelaço" durante "motociata" da qual Bolsonaro participou no último sábado (10)

  • A mulher assinou termo circunstanciado e foi liberada pela polícia

Uma mulher de 47 anos foi detida, algemada e levada à delegacia enquanto fazia um panelaço contra Jair Bolsonaro (sem partido) em Porto Alegre, onde o presidente e seus apoiadores se aglomeraram em uma "motociata" no último sábado (10).

A manifestante assinou um termo circunstanciado por desobediência e foi liberada. O advogado dela afirma que ela se exaltou, mas que "estava em seu direito de se manifestar" e que "em nenhum momento teve a intenção de fazer algo ou de agredir alguém".

Em vídeo publicado em sua página de Instagram, Betina de Jesus disse que a Brigada Militar não a maltratou: "Eles fizeram o trabalho deles porque eu estava alterada". Ela informou ter reagido ao ataque de um participante da passeata, que havia parado a moto para "dizer desaforo" a ela.

"Vou continuar me manifestando. Fiz corpo de delito, termo circunstanciado, já fui solta, tô em casa, tá tudo bem. Só que eu não vou deixar de me indignar contra a situação do país e vou continuar me manifestando. Só que eu vou tentar ter um pouco mais de controle das próximas vezes pra eu não ir presa, porque ir presa é perda de tempo", disse.

Sobre o fato da mulher ter sido algemada, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou em nota ao portal G1 que "diante da exaltação inicial da cidadã, no momento e contexto dos fatos, houve necessidade de se fazer o uso de algemas para sua contenção, conforme prevê a súmula vinculante 11 do Supremo Tribunal Federal, com o intuito de salvaguardar a integridade física da detida e de terceiros".

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), publicou parte da nota divulgada pela SSP nas redes sociais, com um vídeo que mostra a manifestação. Ele também disse que a Brigada Militar vai apurar o caso.

Nota da Secretaria de Segurança Pública

Durante a manifestação de motociclistas pela Capital, por volta das 12h, um grupo de manifestantes contrários formou-se próximo aos cruzamentos entre as Av. João Pessoa e Av. Venâncio Aires. Uma das manifestantes, de 47 anos, começou a ameaçar os motociclistas que passavam, quando foi abordada e solicitada por diversas vezes a se afastar do leito da via, de forma a evitar possível acidente. Apesar das repetidas tentativas das PMs de afastar a mulher, ela desobedeceu a ordem, desacatou as PMs que a abordaram, tentou chutar um dos motociclistas e manteve as ameaças de agressão. Em razão disso, a mulher foi contida por policiais femininas no local e conduzida até a 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde, após produção de termo circunstanciado por desobediência, foi liberada. Apesar de ser o único incidente registrado, em uma situação específica, onde apontam evidências que justificam o recolhimento da manifestante, ainda assim a BM abrirá procedimento para apuração, em nome da transparência e do rigor com os fatos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos