Manifestantes contra obrigatoriedade de vacina na Austrália comparam governo estadual aos nazistas, diz mídia

·1 min de leitura

Por Lidia Kelly

MELBOURNE (Reuters) - Milhares de pessoas protestaram em Melbourne contra as novas obrigatoriedades de vacina neste sábado, e alguns deles compararam o governo estadual aos nazistas, clamando por violência contra políticos, afirmou a imprensa local.

Na Austrália, onde 83% das pessoas com 16 anos ou mais foram completamente imunizadas contra o coronavírus, a vacinação é voluntária em âmbito nacional. Mas Estados e territórios têm exigido a vacinação para muitas profissões e proibido os não-vacinados de comer fora ou ir a shows.

A manifestação em Melbourne contra a obrigatoriedade da vacinação que entrou em vigor neste sábado - exigindo que trabalhadores da construção civil no Estado de Victoria sejam totalmente imunizados - foi pacífica, sem nenhum relato de comportamento indisciplinado ou prisões em um primeiro momento.

Mas um repórter do jornal The Age publicou um vídeo no Twitter de um manifestante carregando uma forca falsa com três narizes pendurados, e o jornal mostrou um outro manifestante com um pôster em que o primeiro-ministro de Victoria, Daniel Andrews, aparece com um bigode de Hitler e a hashtag #DitadorDan.

“Estamos sendo governados por burocratas médicos insanos”, afirmou Craig Kelly, ex-parlamentar pelo Partido Liberal e agora líder do Partido Austrália Unida, na manifestação, segundo a imprensa.

O The Age afirmou que alguns manifestantes defenderam violência contra políticos, mas não deu detalhes específicos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos