Manifestantes dão banho de tinta vermelha no embaixador russo na Polônia

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O embaixador da Rússia na Polônia, Sergei Andreev, levou um banho de tinta nesta segunda-feira (9) na cidade de Varsóvia. O diplomata foi alvo de protesto durante uma visita a um cemitério de soldados soviéticos mortos na Segunda Guerra Mundial, que fica localizado na capital polonesa.

De acordo com informações da agência de notícias estatal russa Ria Novosti, Andreev foi recebido por manifestantes ucranianos e poloneses com insultos e ele teve seu caminho bloqueado, o que o forçou a deixar o cemitério acompanhado da polícia. O embaixador ainda foi chamado de "fascista". Andreev disse que não se feriu.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Maria Zakharova, comentou o incidente em seu canal Telegram. Segundo ela, "os fãs do neonazismo mais uma vez desnudaram seus rostos - e é sangrento".

"A demolição de monumentos aos heróis da Segunda Guerra Mundial, a profanação de sepulturas e agora a interrupção da cerimônia de colocação de flores em um dia sagrado para todas as pessoas decentes provam o óbvio - o Ocidente estabeleceu um curso para a reencarnação do fascismo", escreveu ela.

A missão diplomática russa também iria realizar o Regimento Imortal no Dia da Vitória, mas o Ministério das Relações Exteriores polonês recomendou não realizar esses eventos, citando sua ligação com a guerra entre Rússia e Ucrânia.

Desde o início do conflito, autoridades ucranianas têm denunciado o que seriam crimes de guerra cometidos pela Rússia, sobretudo com a alegação de que o país vizinho estaria atacando áreas ocupadas por civis. Moscou nega as acusações e afirma que ira seus ataques apenas em regiões militares e de infraestrutura ucranianas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos