Manifestantes e forças de segurança se enfrentam no centésimo dia de protestos em Beirut

1 / 2
Manifestantes libaneses fogem de gases lacrimogêneos no centro de Beirut, no dia 25 de janeiro de 2020

Manifestantes e policiais entraram novamente em choque neste sábado (25) em Beirut, marcando o centésimo dia de protestos contra a classe política libanesa, acusada de ser corrupta e incompetente.

Ao menos 20 pessoas ficaram feridas, tanto entre os manifestantes quanto dos membros das forças de segurança, contou à AFP o secretário-geral do Crescente Vermelho do Líbano, Georges Kettaneh, acrescentando que 18 delas receberam atendimento no próprio local.

Na praça Raid al Solh, uma multidão concentrou-se em frente à sede do governo, onde reside o novo primeiro-ministro, Hasan Diab. Os manifestantes tentaram arrancar os aramados e bloqueios que impediam de chegar à sede.

Eles também atiraram pedras e pequenas bombas contra os agentes de segurança, que responderam com jatos de água e gás lacrimogêneo para dispersá-los.

Nas últimas duas semanas inúmeros embates entre manifestantes e policiais foram registrados na capital libanesa.

"Esse não é o governo que queremos", argumenta a manifestante Perla Maalouly.

Desde o último 17 de outubro, os movimentos pedem por reformas no sistema político e pela saída da atual classe dirigente.