Manifestantes na Tailândia pedem renúncia do primeiro-ministro no aniversário do golpe de Estado

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Centenas de pessoas se manifestaram nas ruas de Bangcoc no 15º aniversário do golpe militar que derrubou o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra (AFP/Jack TAYLOR)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Centenas de pessoas foram para as ruas de Bangcoc neste domingo (19) para se manifestarem com motivo do 15º aniversário do golpe militar que derrubou o ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

Este, um bilionário que vive no exílio, continua sendo uma figura de destaque na política do país do sudeste asiático desde que os militares destituíram seu governo, em 19 de setembro de 2006.

"Já se passaram quinze anos, mas ainda estamos aqui para combater", gritava Nattawut Saikuar, um político próximo durante muito tempo a Thaksin, diante de um grupo de simpatizantes.

"Não importa quantos golpes de Estado eles apliquem, não podem nos deter (...). Não importa a capacidade de seus tanques, não podem deter os corações combativos do povo", acrescentou.

Um grupo reduzido de manifestantes entrou em confronto com as forças de segurança, que responderam com o lançamento de gás lacrimogêneo, por volta das 21h00 no horário local (11h00 no horário de Brasília).

A manifestação deste domingo faz parte de um movimento de contestação do governo tailandês, que começou no verão do ano passado.

A Tailândia foi palco de mais de dez golpes de Estado desde o fim da monarquia em 1932, promovidos por militares, frequentemente com o argumento de proteger a poderosa família real.

tp-dhc/lb/age/es/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos