Manifestantes protestam contra Bolsonaro em cidades pelo país

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Manifestantes se reúnem nos arredores da Candelária, no Centro do Rio, em ato contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na manhã deste sábado. Além de pedirem o impeachment, os manifestantes protestam contra o desemprego, o desmatamento, as quase 600 mil mortes na pandemia, as privatizações das estatais federais, e a alta da inflação, em especial de alimentos, do combustível e da energia elétrica. A maioria usava máscara contra a Covid-19. Há protestos contra o governo em cidades espalhadas por todo o país. A maior parte das manifestações está marcada para ocorrer pela manhã. Atos foram registrados ainda em Salvador, João Pessoa, Fortaleza, Goiânia, Teresina e São Luís.

O protesto, que se iniciou por volta de 10h, tem a participação de partidos políticos de esquerda, como PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, PSTU, PCO e UP, além de dezenas de movimentos sindicais e populares, que se organizam ao redor de um carro de som. Manifestantes vão às ruas contra governo Bolsonaro neste sábado (2)

Cecília Maria Nascimento, de 74 anos, veio de Niterói para participar do ato.

— O Bolsonaro está acabando com o Brasil. Sou a favor da universidade pública e contra a reforma administrativa. São tantas as razões de estar aqui que a gente nem sabe por onde começar: roubalheira, privatizacões, inflação alta. O povo não aguenta mais — disse a idosa.

A manifestação já tá no meio da Rio Branco, indo pra Cinelândia. E a PM também tá fazendo escolta a pé, pelas laterais da Rio Branco.

No Ceará, os manifestantes se reuniram no centro da capital, Fortaleza. Com faixas e bandeiras, eles caminharam pelas ruas da cidade e protestaram contra as condições que fizeram que que a fome aumentasse e pediram a geração de empregos e políticas de moradia. Eles também protestaram contra a reforma administrativa, em tramitação no Câmara dos Deputados, e contra as privatizações promovidas pela gestão atual.

Centrais sindicais, entidades estudantis, movimentos sociais e representantes de partidos políticos participam do ato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos