Manifestantes sudaneses enfrentam gás lacrimogêneo em 10º mês de protestos

CARTUM (Reuters) - Milhares de manifestantes que marchavam em direção ao palácio presidencial do Sudão foram bloqueados pela polícia, que disparou gás lacrimogêneo contra as pessoas, no décimo mês de protestos contra o governo militar no país.

Os protestos continuam semanalmente desde a tomada do poder pelos militares em 25 de outubro, que interrompeu a transição para a democracia e mergulhou o país em turbulências.

Líderes militares disseram que estão preparados para se afastar se grupos civis puderem concordar com um novo governo, mas os partidos políticos têm sido céticos.

No entanto, o ex-membro do Conselho Soberano Mohamed al-Faki Suleiman disse no sábado ao Sudan Tribune que novos arranjos constitucionais estavam sendo discutidos entre a antiga coalizão Forças de Liberdade e Mudança (FFC) e outras "forças revolucionárias".

Os protestos de domingo foram os mais recentes de uma série de manifestações desde manifestações que duraram vários dias na capital do Sudão antes do feriado do Eid. Na semana passada, um protesto convocado pelo FFC foi atacado por grupos não identificados.

A polícia impediu os manifestantes de chegarem à via de 1 quilômetro de extensão que leva ao palácio presidencial e perseguiu os integrantes do protesto em ruas laterais próximas, disseram jornalistas da Reuters.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos