Manual do rebaixamento: Por que o Santos caminha a passos largos para a Segunda Divisão

Paulo Amaral
Cuca foi apresentado por José Carlos Peres como esperança, mas ainda não encontrou time ideal.

Os torcedores do Santos Futebol Clube se orgulham tanto das conquistas do bicampeonato mundial e dos três troféus da Libertadores da América – boa parte vencida nos tempos áureos de Pelé e companhia – , quanto do fato de nunca terem visto o time rebaixado à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro.

Integrante de um seleto grupo que conta somente com São Paulo, Flamengo, Cruzeiro e Chapecoense (única que veio de divisões inferiores, mas, na prática, também jamais foi rebaixada), o Santos de 2018 parece estar seguindo a mesma "cartilha" que Corinthians, Palmeiras, Vasco, Botafogo, Grêmio, Atlético-MG e Internacional usaram nos anos em que acabaram caindo para a Série B Nacional.

Caso seja derrotado pelo Sport neste sábado (18), na Vila Belmiro, o Santos dificilmente escapará de virar o primeiro turno da competição no temido Z-4 – grupo dos 4 piores do Brasileirão que, ao término do torneio, é rebaixado para a Segunda Divisão.

A equipe alvinegra soma 18 pontos em 18 jogos (um antecipado do segundo turno) e abre a zona de rebaixamento, na 17ª posição, à frente apenas de Ceará, Atlético-PR e Paraná.

Z-4 é mau sinal

Estar no grupo dos piores ao fim do primeiro turno do Brasileirão é um dos itens que os clubes que já foram rebaixados "ticaram" no caminho até o vexame, hoje ainda inédito na centenária história santista.

Veja, a seguir, este e outros ítens da cartilha que tem deixado o torcedor que se acostumou com Pelé, Pita, Giovanni, Robinho, Diego, Neymar e, mais recentemente, Rodrygo, bastante preocupado.

Planejamento ruim

Errar no planejamento e na contratação de reforços é o item 1 da cartilha dos rebaixados. E o Santos tirou nota 10 nesse quesito.

Bryan Ruiz foi contratado a pedido de Jair Ventura, mas não jogou com o antigo treinador.


Querem um exemplo? O time contratou seus últimos reforços – Bryan Ruiz, Carlos Sanchez e Derlis González – a pedido do técnico Jair Ventura. E DEMITIU o treinador antes mesmo que o trio tivesse condições legais de entrar em campo.

Cuca, contratado...

Continue a ler no HuffPost