Manuscrito de Charles Darwin vai a leilão; valor deve chegar a R$ 4,3 mi

Segundo a Sotheby's, manuscrito foi confundido com uma folha de um rascunho de trabalho da terceira edição de A Origem das Espécies (REUTERS/Lucas Jackson)
Segundo a Sotheby's, manuscrito foi confundido com uma folha de um rascunho de trabalho da terceira edição de A Origem das Espécies, de Charles Darwin (REUTERS/Lucas Jackson)
  • Raro manuscrito do naturalista, geólogo e biólogo Charles Darwin será vendido em um leilão online que ocorrerá de 25 de novembro a 9 de dezembro;

  • Segundo a Sotheby's, manuscrito foi confundido com uma folha de um rascunho de trabalho da terceira edição de A Origem das Espécies;

  • Jornal The Guardian lembra que nos 163 anos desde que o trabalho foi publicado, algumas das notas e folhas manuscritas de Darwin sobreviveram.

Um raro manuscrito do naturalista, geólogo e biólogo Charles Darwin, datado de 1865 e contendo uma passagem de A Origem das Espécies, uma de suas maiores obras literárias, será vendido em um leilão online que ocorrerá de 25 de novembro a 9 de dezembro.

O documento, que deve custar entre £ 530.000 e £ 700.000 (aproximadamente entre R$ 3,2 milhões e R$ 4,3 milhões), é considerado o manuscrito autógrafo mais significativo de Darwin que já apareceu em um leilão.

Segundo a casa de leilões Sotheby's, responsável pelos lances, o manuscrito foi confundido com uma folha de um rascunho de trabalho da terceira edição de A Origem das Espécies.

O jornal The Guardian lembra que nos 163 anos desde que o trabalho foi publicado, algumas das notas e folhas manuscritas de Darwin sobreviveram. Mas os autógrafos do autor, que era conhecido por revisar obsessivamente suas publicações e descartar páginas de rascunhos de trabalho, eram extremamente raros.

“O texto revolucionário de Charles Darwin conseguiu criar um Livro do Gênesis para a era moderna e seria difícil exagerar o impacto sísmico que teve não apenas na ciência e na cultura do século XIX, mas também nos pensadores e gerações subsequentes”, disse Richard Austin, da Sotheby's.

Manuscrito de Albert Einstein

Em novembro do ano passado, a casa de leilões Christie’s, em Paris, deu início a uma concorrência on-line pela compra de itens históricos, entre eles, um manuscrito de 54 páginas escrito por Albert Einstein e Michele Besso, que documenta o estágio inicial do desenvolvimento da famosa Teoria da Relatividade. O valor que esperavam arrecadar era entre US$ 2,4 milhões (R$ 13,41 milhões) e US$ 3,5 milhões (R$ 19,55 milhões)

Em maio de 2021, uma carta destinada a um físico rival, que continha sua famosa equação E = mc2 (equivalência massa-energia), foi arrematada por US$ 1,2 milhão (R$ 6,7 milhões na cotação da época). E em 2017, duas notas curtas que ele escreveu a um carregador de um hotel de Tóquio – incluindo uma que descrevia sua “fórmula” para a felicidade – foram vendidas por US$ 1,5 milhão (R$ 8,39 milhões na cotação da época), o maior valor até o momento.