Mapeamento de barco naufragado em Angra dos Reis deverá ser na próxima quarta-feira

·3 minuto de leitura

A Secretaria Executiva de Ilha Grande, em Angra dos Reis, Costa Verde fluminense, aguarda melhores condições de tempo para tentar fazer o mapeamento e resgate da embarcação Novo Milênio, sumida há quase 40 dias e onde estavam Leonardo de Andrade, de 50 anos, e Cristiane Nogueira, de 48. O trabalho tem sido coordenado pela Polícia Civil, que espera a reflutuação do barco para tentar esclarecer o caso. A previsão é de que as próximas ações sejam realizadas na quarta-feira, caso as condições climáticas sejam favoráveis até lá. No momento, a passagem de uma frente fria influencia as condições do mar.

O trabalho deverá ser da seguinte forma: dois grupos irão até o local da embarcação. O primeiro vai até onde se consegue ver as redes, e o segundo desce com equipamento de filmagem para captação de imagens que serão enviadas à Polícia Civil. Mas isso só será possível após a passagem da frente fria. De acordo com o Climatempo, os próximos dias serão de chuva com períodos nublados.

Na última semana, equipes de mergulhadores confirmaram que há indícios que apontam para a presença da embarcação naufragada a cerca de 38 metros de profundidade e a cinco quilômetros do continente. No entanto, a baixa visibilidade e a profundidade restritiva, que limita em oito minutos o tempo de permanência dos profissionais, impediram o trabalho das equipes de busca que atuam na região.

Na primeira tentativa, dois mergulhadores desceram até o fundo, mas o mar estava muito agitado. As equipes encontraram, com a ajuda de uma lanterna, algumas redes emboladas e uma tolda de inox retorcida com uma lona verde. Já durante a segunda descida, foram cinco pessoas participando das buscas, mais bem equipadas e experientes. Apesar de as condições de navegação estarem melhores, havia lodo.

A identificação foi feita pelas características dos objetos já avistados.

— O dono da embarcação tem interesse em resgatá-la. Mas será preciso amarrar um cabo na estrutura que possa suportar um reboque até uma área mais rasa. Vamos dar todo o apoio nas buscas e ajudá-lo, já que nessa profundidade é difícil encontrar empresa que faça a reflutuação — afirma o secretário de Ilha Grande, Carlos Kazuo, que tem participado das ações com o Grupamento Ambiental Marítimo.

Segundo a Marinha, o proprietário do barco será notificado para que preste esclarecimentos assim que a embarcação for encontrada, além de ter que providenciar a reflutuação da mesma. Leonardo e Cristiane passavam um fim de semana juntos e tentavam uma reconciliação. Os dois pegaram a embarcação, que já havia sido do empresário, emprestada de um amigo e disseram que veriam o pôr do sol.

O corpo de Leonardo foi encontrado por pescadores próximo à Praia do Provetá, em Ilha Grande, no último dia 15. A identificação do empresário foi possível por conta dos documentos encontrados junto ao cadáver. A causa da morte foi apontada como afogamento após perícia realizada no Instituto Médico-Legal. Já o corpo de Cristiane estava na Restinga de Marambaia, Zona Oeste do Rio, também com indícios de afogamento, e foi resgatado no dia 29 de agosto.

No último dia 2, uma boia foi encontrada pela Capitania do Portos, também na Restinga da Marambaia. A confirmação de que o objeto pertence à traineira onde estava o casal foi feita pela polícia. Uma janela compatível com a da embarcação também foi localizada no mar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos