Mara Maravilha lança disco gravado há 36 anos, aos 18, com letra picante: 'Até me arrepio! Safadinha sempre fui'

Nesta sexta-feira, Mara Maravilha lança "Um grande amor", álbum com nove músicas que seria seu primeiro CD, gravado quando ela tinha 18 anos, e foi guardado a sete chaves até hoje. A artista, hoje com 55, e que se destacou nos últimos anos no mercado gospel, conversou com o EXTRA sobre esse mergulho no passado e sobre questões contemporâneas, como maternidade, casamento, vida sexual e autoestima.

— Esse LP é atemporal. Há 36 anos, eu falava na letra sobre tesão. “Anjo travesso” tem uma letra bem picante. Até me arrepio! Safadinha eu sempre fui — diz ela sobre o disco “esquecido”.

Confira:

Choro ao não lançar disco

“No estúdio, fizemos um disco maravilhoso. Terminei de gravar na mesma época em que recebi o convite do Silvio Santos para ganhar o “Show Maravilha”. Quando me disseram que não iriam lançar as músicas, fiquei emotiva e comecei a chorar. Pensei que não tinha cantado bem. Mas eles falaram que eu tinha nascido para ser cantora”.

Cristã e com tesão

“Eu era uma adolescente sonhadora, hoje sou uma mulher empoderada. Esse LP é atemporal. Há 36 anos, eu falava na letra sobre tesão. ‘Anjo travesso’ tem uma letra bem picante. Até me arrepio! Safadinha eu sempre fui. Pioneira, também. Eu me converti, gravei discos gospel, transitei entre o gospel e o secular. Isso é possível? Para mim é. Falar desse amor quente, da paixão, do tesão é algo inerente ao ser humano. A gente nasce de uma relação sexual e é bom quando ela tem amor, que é a essência de tudo. As letras foram escritas de uma forma respeitosa. Não tem nada que esteja desagradando a Deus”.

Renascimento artístico

“Confesso que o CD está me fazendo renascer artisticamente. Eu me sinto muito animada para um recomeço, incentivada. Eu tenho muita coisa para fazer ainda. Estava pensando que já tinha feito quase tudo, mas pelo jeito, não. Já estou com outros projetos. Às vezes, as pessoas falam que eu me subestimo, que não sei quem eu sou, a minha dimensão. Não sou deslumbrada, mas Deus me deu talento”.

Sonho de cantar com Roberto Carlos

“Eu já realizei quase tudo, mas tenho um sonho de cantar com Roberto Carlos. Também gravaria com Ivete e faria um CD ‘Mara canta Gonzaguinha’”.

Já sofri muito por amor’

“Eu tinha um namoradinho e, às vezes, ia para o estúdio triste porque tinha brigado com ele. Na hora de cantar, eu aproveitava aquele sentimento e já extravasava na interpretação. Já sofri muito por amor. Mas, menina, eu era pegadora, vamos combinar... Se tivesse alguém do Dominó, do Menudo, eu pegava. Agora estou bem resolvida, mas se Luan Santana fosse da minha época, eu pegava também (risos)! A fila para mim não andava; ela voava. Agora, eu estacionei!”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos