Maradona sofreu por oito horas antes de morrer, revela autópsia

·1 minuto de leitura

A imprensa argentina revelou, na última terça-feira, detalhes sobre a autópsi de Diego Maradona, morto no último dia 25. Não foram encontrados drogas ou álcool no corpo do jogador, que teria, segundo a emissora LaSexta, sofrido por cerca de oito horas antes de morrer.

"Não foi uma morte súbita, mas sim uma grande agonia que durou entre seis e oito horas", diz o canal. Conforme já havia sido revelado anteriormente, o coração de Maradona, já debilitado por problemas anteriores de dependência química, pesava o dobro de um coração normal. O fígado e os rins do jogador também mostravam sinais de falha.

Os médicos encontraram antidepressivos, antipsicóticos, remédios para náuseas e para tratamento de dependência de drogas ou álcool no corpo de Diego. O ídolo argentino sofreu o ataque cardíaco em casa, dias após receber alta de uma cirurgia na cabeça.