Maradona terá museu, estátua e um quarteirão dedicado a ele em Nápoles, na Itália

Extra
·1 minuto de leitura
Foto: CARLO HERMANN / STR

Um mês após a morte de Diego Maradona, as homenagens continuam ao redor do mundo. E a ideia é que não terminem tão cedo. A cidade de Nápoles, na Itália, alterou o nome do estádio e de uma estação de trem para honrar a história do camisa 10 e, agora, as autoridades planejam a criação de um museu, instalar estátuas do jogador e dedicar um quarteirão inteiro à memória dele.

"Já estamos com um projeto para decorar a área em frente ao mural no Quarteirão Espanhol com plantas e bancos. O mural foi pintado pelo artista Mauro Filardi em 1990 para celebrar o segundo campeonato da série A do Nápoli. Agora, pretendemos nomear a praça em homenagem a Maradona, visto que centenas de pessoas têm se reunido por aqui todos os dias desde sua morte", disse Luigi Felaco, chefe de decoração urbana de Nápoles, ao "The Guardian".

Sobre as estátuas, mais de 14 artistas já apresentaram propostas à Prefeitura.

"Estamos avaliando todas elas. Vamos instalar as homenagens, mas precisamos estudar onde. Afinal, há dezenas de bairros que gostariam de ter a estátua entre eles".

A ideia é que haja ainda um museu dentro do estádio de futebol da cidade. As fotografias, flores, bolas, colares e camisetas que fãs têm deixado na porta do local diariamente terão um lugar na exposição permanente, disseram as autoridades.