Maratona de quatro jogos em três dias desafia estádio e cidade de Saquarema em meio à pandemia

Diogo Dantas e Rafael Oliveira
·4 minuto de leitura

Conhecida como a capital nacional do surfe, Saquarema reforçará sua vocação para o esporte. De sexta a domingo, receberá quatro partidas de futebol e ainda sediará a fase semifinal da Superliga feminina de vôlei. Razões suficientes para um fim de semana de festa no município da Região dos Lagos, não fosse por um detalhe: tudo isso ocorrerá no momento mais grave da pandemia de coronavírus no Brasil.

As semifinais da Superliga não chegam a ser novidade. A cidade abriga o centro de desenvolvimento da Confederação Brasileira de Vôlei. Durante a pandemia, ele tem servido de base para os torneios serem disputados no já popular formato de “bolha”. O local também recebe etapas do Circuito Nacional de vôlei de praia.

O ineditismo está no futebol. Normalmente, o estádio Elcyr Resende só é palco para os compromissos do Boavista, que o administra. Inicialmente, só receberia seis jogos do Carioca, além dos que a equipe tivesse o mando pela Copa do Brasil. Mas a proibição do futebol em diversos estados — entre eles, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo — e nas cidades do Rio e de Niterói mudou os planos.

Os quatro jogos marcados para o Elcyr Resende neste fim de semana jogam luz para a situação do gramado e da cidade de Saquarema. O estádio, que já foi palco da vitória do Fluminense sobre o Boavista, na terça, receberá mais duas partidas nesta sexta (Flu x Volta Redonda, pelo Carioca, às 16h; e Corinthians x Retrô-PE, pela Copa do Brasil, às 21h30), além de uma no sábado (Boavista x Flamengo) e outra no domingo (Nova Iguaçu x Botafogo), ambas pelo Carioca.

Procurado, o gestor do Boavista, João Paulo Magalhães, assegurou que todos os protocolos de higienização e de segurança serão seguidos. Mas não respondeu se o clube receberá alguma contrapartida para compensar o desgaste que tantos jogos num curto espaço de tempo provocarão no gramado. Na derrota de seu time para o Fluminense, há dois dias, já foi possível constatar que o estado não era bom.

Até o momento, não há nenhum confronto marcado para lá nas próximas três rodadas do Carioca. Mas até 4 de abril, quando vigora a proibição do futebol no Rio, ainda há seis partidas sem local definido. Na segunda-feira, a Federação do Rio irá reavaliar as condições dos estádios disponíveis.

A Prefeitura de Saquarema acompanha com tranquilidade. De acordo com o secretário de Esporte, Lazer e Turismo Rafael Castro, a realização das quatro partidas em si não fere as medidas restritivas em vigor, que permitem a prática esportiva apenas em caráter profissional. A única exigência do órgão foi que todos os envolvidos — de jogadores à imprensa — apresentem testes negativos de RT-PCR nas barreiras sanitárias instaladas no acesso à cidade.

— Estas pessoas chegarão na cidade, não terão muito contato com o público em geral e, principalmente, estarão devidamente testadas. E a gente tem o entendimento de que há segurança e controle durante as partidas. Há regras bem rígidas em relação a isso — disse o secretário.

De acordo com dados do painel de monitoramento da Secretaria Estadual de Saúde, Saquarema registrou 20 contaminados por Covid-19 nos últimos sete dias. Neste mesmo período, três óbitos foram confirmados. Pode parecer pouco, mas outros números conseguem retratar melhor a situação do município. Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de UTI para a doença está em sua capacidade máxima. Já a de enfermaria está em 84%.

Hoje, o acesso às praias, lagoas, cachoeiras e praças está proibido na cidade. Já os bares e restaurantes só podem funcionar até às 23h e com 50% de sua lotação. A rede hoteleira tem permissão para atender até 40% de sua capacidade.

Como joga mais cedo, o Fluminense viaja nesta quinta para Rio Bonito, cidade próxima onde a delegação passará a noite. Vai a Saquarema apenas para jogar. O Corinthians, que atuou na terça em Volta Redonda, está hospedado no Rio e irá para o local da partida no próprio dia. O Flamengo, por sua vez, chegará no sábado um pouco mais cedo. Os jogadores descansarão num hotel antes de ir para o estádio. Último a jogar, o Botafogo ainda não divulgou a programação para o duelo de domingo.