Marcelo Adnet critica piadas preconceituosas: 'Não tenho nostalgia desse tempo'

Em
Em "Nas Ondas da Fé", que estreia em 12 de janeiro, Marcelo Adnet vive um pastor evangélico "por acidente"; humorista afirmou que não sente falta do tempo em que era aceitável fazer piadas com gays, mulheres e pobres (Foto: Divulgação/Imagem Filmes)

Prestes a estrear nos cinemas com a comédia "Nas Ondas da Fé", em que vive um pastor evangélico "por acidente", Marcelo Adnet afirmou que não sente falta do tempo em que era aceitável fazer piadas preconceituosas.

Para o ator e humorista, fazer as pessoas rirem tem muito a ver com o que escolhe ser publicado em um jornal: "[O jornal] publica as notícias que considera relevantes, não tudo o que acontece no mundo. Não tenho a menor nostalgia pelo tempo em que era aceitável fazer piada com gay, com mulher, com pobre. Eu quero olhar pra frente, não para trás. Quero ver o quem por aí, não o que já passou", afirmou à coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo.

Na entrevista, Adnet ainda falou sobre o novo filme, no qual está trabalhando desde 2014, e como a polarização no Brasil ajudou na construção da narrativa: "Naquela época, já estava acontecendo o que me parece ser uma petrificação de um muro imaginário, mas muito evidente, que separa as classes média e alta das classes baixas e dos pobres, e dos cristãos ou ateus e dos evangélicos", relembrou.

"Isso me incomoda porque eu não tenho o menor interesse em viver trancado numa parte da cidade, só com pessoas parecidas comigo, que têm uma ideia preconcebida de como é a vida de quem mora do outro lado desse muro", acrescentou.

Em "Nas Ondas da Fé", Adnet mira nas lideranças religiosas de igrejas evangélicas, que se aproveitariam da religião para roubar os fiéis: "Ficou cimentado na cabeça de muita gente que o que une a comunidade evangélica é um pastor canalha que rouba os otários", afirmou.

"A gente resumiu um fenômeno muito mais profundo nisso, como se todos os neopentecostais fossem um bando de idiotas", continuou Adnet." Tem pessoas horríveis entre os neopentecostais, mas tem pessoas ótimas também."

Apesar de o longa trafegar pelo gênero cômico, Adnet tomou cuidado para não trair as suas próprias crenças e acabar tirando sarro dos evangélicos, o que não era a intenção do filme. Segundo o humorista, o pastor José Barbosa, famoso nas redes sociais, atuou como assessor no roteiro para que não houvesse erro algum:

"A gente teve que dublar uma fala do Stepan Nercessian, acho que dá para perceber, mas ele falava 'rezar' em uma cena, e tivemos que mudar para 'orar'", explicou Adnet. O elenco de "Nas Ondas da Fé", que estreia no próximo dia 12 nos cinemas, ainda conta com Letícia Lima, Roberta Rodrigues, Otavio Muller e Gregorio Duvivier.