Marcelo Freixo assume a Embratur após se desfiliar do PSB

No mesmo dia, Freixo se desfiliou do PSB e foi indicado para assumir a Embratur

Marcelo Freixo assume a Embratur após se desfiliar do PSB (AP Photo/Bruna Prado)
Marcelo Freixo assume a Embratur após se desfiliar do PSB (AP Photo/Bruna Prado)
  • Freixo ficou sem cargo eletivo para ano ano que vem após ter perdido a disputa para governador do Rio;

  • No mesmo dia, Freixo se desfiliou do PSB e foi indicado para assumir a Embratur;

  • Freixo atuará ao lado de Daniela do Waguinho (União), anunciada como nova ministra do Turismo.

Após ter perdido a disputa para governador do Rio e ficar sem cargo eletivo no ano que vem, o então deputado federal Marcelo Freixo se desfiliou nesta sexta (30) do PSB e vai assumir a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). Apesar da desfiliação e a investidura no novo cargo não terem relação entre si, os dois movimentos aconteceram no mesmo dia.

Na nova função à frente da agência, Freixo atuará ao lado de Daniela do Waguinho (União), anunciada como nova ministra do Turismo. Assim como Freixo, Daniela é uma figura política fluminense, porém os dois encontram-se em espectros políticos distintos. A deputada foi a mais votada no Estado para a Câmara em outubro e é casada com o presidente do União Brasil no Estado e prefeito de Belford Roxo, Waguinho.

Mesmo sendo o principal nome da esquerda do Rio na última década, Freixo fracassou nas três as eleições majoritárias que disputou no estado. O político já perdeu duas eleições para prefeito, sendo superado por Eduardo Paes em 2012 e por Crivella em 2016. No pleito deste ano, Freixo perdeu no primeiro turno para o governador reeleito, Cláudio Castro (PL).

Pela proximidade com Lula, o parlamentar fluminense chegou a ser cogitado para um dos 37 cargos ministeriais, mas acabou ficando de fora da lista devido a pouca identificação com o PSB, ao qual se filiou em 2021 depois de sair do Psol. Para o futuro, é aguardada a filiação do político do Rio ao PT.

“O quadro que estamos encontrando de herança deste governo é trágico. São apenas R$ 19 milhões para investimento no turismo em 2023. Ou seja, não é nada”, disse o deputado em novembro, durante o período de transição. Na ocasião, ele integrava o grupo de turismo e acusou a Embratur de boicotar o processo de troca de governo.