"Marcha das Bandeiras" em Jerusalém

Judeus nacionalistas e da extrema-direita reúniram-se em Jerusalém para celebrar o Dia de Jerusalém, feriado nacional, e a "Marcha das Bandeiras," que teve lugar na tarde de domingo.

Três mil agentes de polícia foram destacados para o evento, que celebra o aniversário da ocupação de Israel, em 1967, do sector oriental da cidade.

Na cidade de Ramala, na Cisjordânia, palestinianos protestaram contra a marcha.

No ano passado, a "Marcha das Bandeiras" provocou distúrbios que levaram a uma escalada do conflito com o grupo islâmico Hamas e a um confronto de onze dias, em que morreram 268 pessoas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos