Marcinho e seu pai devem prestar depoimento sobre atropelamento na segunda-feira

·1 minuto de leitura
Foto: Vitor Silva/Botafogo

Principal suspeito de ter se envolvido no atropelamento de um casal na última quarta-feira, o lateral direito do Botafogo, Marcinho, é aguardado pela polícia para prestar depoimento na próxima segunda-feira. O advogado do jogador entrou em contato com a 42ª DP (Recreio), que investiga o caso, para agendar a ida do atleta à delegacia. O homem morreu no local e a mulher ficou gravemente ferida. Marcinho teria fugido do local logo após o atropelamento.

O veículo, um Mini-Cooper, estaria em alta velocidade quando atingiu o casal na altura do número 17.170 da Avenida Sernambetiba, no Recreio, Zona Oeste do Rio. Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima atravessavam a via.

Alexandre será sepultado nesta sexta-feira, no cemitério Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro.

Via assessoria de imprensa, Marcinho se posicionou oficialmente sobre o caso e afirmou que está dando suporte aos envolvidos. A nota informa ainda que o pai do jogador, Sérgio de Oliveira, também prestará depoimento às autoridades.

O Mini-Cooper foi rebocado e abandonado próximo do apartamento de Marcinho. Chamados por pedestres, os policiais fizeram buscas na região e encontraram o veículo na Rua Hermes de Lima, também no Recreio. A Polícia Civil realizou perícia no carro e recolheu impressões digitais.

A polícia ainda apura se o jogador de 24 anos era de fato o condutor do veículo, que está registrado no nome de uma empresa de produtos hospitalares cujo sócio é Sergio Lemos de Oliveira, pai e empresário de Marcinho.

Veja o comunicado do jogador:

"A família do atleta sente muito pelo ocorrido e está dando todo suporte necessário aos envolvidos. O pai do lateral, Sérgio de Oliveira, prestará depoimento, assim como o atleta, durante os próximos dias, de forma exclusiva às autoridades".