Marco Nanini cita 'depressão profunda' e explica por que revelou homossexualidade: 'Maduro e seguro'

·1 minuto de leitura

Aos 72 anos de idade, sendo 56 só de carreira, Marco Nanini está na contagem regressiva para voltar aos palcos. Desta vez, como manda o atual cenário da pandemia, de maneira on-line. O ator está prestes a estrear uma montagem do clássico "As cadeiras", de Eugène Ionesco. Nanini enfrentou a Covid-19 logo no início do isolamento social, mas teve sintomas leves. A cabeça, no entanto, não reagiu também, e ele admite ter passado por uma "depressão profunda".

Leia também: Monica Iozzi termina namoro com administrador após planos de casamento

"Tenho uma depressão que vai e volta, e desta vez foi profunda. Via TV e ficava arrasado, as pessoas morrendo, as imagens dos lugares que eu frequentava, os restaurantes, os teatros, tudo fechado. Também a falta de convívio com o povo da cultura foi um baque. Sem conviver, a gente não se ouve, não se conecta. Do ponto de vista individual é triste e para a cultura, um problema. Aliás, ela nunca foi tão maltratada como agora. Me espanta que, no meio disso tudo, com a pandemia ainda nos assombrando, as pessoas consigam ir para a rua dançar e fazer festa", diz o ator à "Veja Rio".

Marco Nanini diz também concordar que os artistas têm de se posicionar e levantar bandeira para dar voz a quem não tem: "Sou homossexual e me sinto absolutamente seguro e maduro para declarar isso. Não quero fazer disso um drama nem discutir por que sim ou por que não. São muitos os casos de violência física contra os gays. Quanto mais eu assumir a minha parte nesse assunto, melhor, mas sem aquele chantili que costuma cobrir as fofocas. Isso é um assunto sério.