Marcola, líder do PCC, tem uma preocupação: seus cabelos brancos

Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder da facção criminosa PCC (Foto: Reprodução/TV Globo)
Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder da facção criminosa PCC (Foto: Reprodução/TV Globo)

Um dos detentos mais conhecidos do Brasil, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder da facção criminosa PCC, expressou uma preocupação peculiar ao conversar com a esposa, Cynthia Giglioli Herbas Camacho: os cabelos brancos.

Em conversas reveladas pelo Fantástico, da TV Globo, Marcola conversou com a esposa quando ela esteve na Penitenciária Federal de Brasília. “Meu cabelo está branco”, disse, aos 54 anos. Cynthia, então, responde que é normal.

“Não, fala a verdade. Envelheci bastante? Ninguém me fala a verdade, sabe?”, questiona. A esposa diz que não, os cabelos não estão muito brancos.

A preocupação com o envelhecimento vai além. Marcola acredita que o rosto também dá sinais de que ele está mais velho. “Mas e meu rosto, como é que tá? Fala a verdade. Eu não quero ser iludido, entendeu?”

Assalto

Na visita, Cynthia também conta ao marido que foi assaltada. O caso ocorreu em novembro do ano passado. Quando descobriram quem tinha sido a vítima do roubo, os ladrões devolveram o celular e o dinheiro da esposa de Marcola.

“Devolveram, porque viram o meu nome, que era o seu nome. Cynthia Giglioli Herbas Camacho. Mandaram entregar lá no salão”, contou ao marido.

Tentativa de fuga

A Polícia Civil fez uma investigação na última semana, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), que revelou que membros do PCC já criaram pelo menos três planos para resgatar líderes da facção criminosa que estão nas penitenciárias federais de Brasília e de Porto Velho. Um deles é Marcola, que foi de Brasília para Rondônia no início de 2020.

Nas conversas reveladas pelo Fantástico, os envolvidos usam códigos, como STF – nome do plano que previa uma invasão da penitenciária federal de Porto Velho. Outra opção era o plano chamado de “STJ”, que envolvia sequestrar autoridades e familiares de pessoas do Depen.