Senador bolsonarista visita terroristas presos e incentiva uso das redes sociais

Senador bolsonaristas Marcos do Val afirmou que tentará reunião com Alexandre de Moraes, do STF, para intervir por suspeito de terrorismo no DF - Foto: REUTERS/Amanda Perobelli
Senador bolsonaristas Marcos do Val afirmou que tentará reunião com Alexandre de Moraes, do STF, para intervir por suspeito de terrorismo no DF - Foto: REUTERS/Amanda Perobelli
  • Senador bolsonarista visitou extremistas presos na Academia da Polícia Federal, em Brasília, e os aconselhou a registrar passagem pelo local;

  • Centenas de bolsonaristas estão presos após atos antidemocráticos e ataques terroristas na capital federal;

  • O parlamentar disse que vândalos são ‘vítimas’ e prometeu buscar reunião com Alexandre de Moraes (STF) para intervir por eles.

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) conversou com bolsonaristas presos na Academia da Polícia Federal (PF) e os aconselhou a usar os celulares para registrar os acontecimentos do local.

O parlamentar transmitiu a visita nas redes sociais e disse que foi até lá para verificar as condições em que os terroristas se encontravam.

Centenas de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foram presos por participação em atos antidemocráticos em Brasília (DF).

Do Val aconselhou os extremistas a usarem os dispositivos ‘com sabedoria’.

“O fato de vocês estarem com celulares já está fazendo com que nós lá fora, o Brasil inteiro e o mundo inteiro saibam disso. Se fossem ainda mais rígidos, tomariam isso também. Vocês têm essa ferramenta que é poderosa, usem com sabedoria. Escolham líderes, porque senão fica muita gente falando e nós não conseguimos encaixar as peças”, disse o senador aos terroristas.

Imagens registradas na Academia da PF mostram que os detidos têm acesso livre a celulares e internet.

Segundo o parlamentar, os manifestantes são ‘vítimas’ da situação ocorrida nos Três Poderes, quando bolsonaristas invadiram e depredaram os prédios do Supremo Tribunal Federal (STF), Congresso Nacional e Palácio do Planalto.

“De premissa, vocês são inocentes. Estão sendo vítimas da situação que aconteceu nos Três Poderes”, afirmou ele.

O parlamentar ainda afirmou que buscaria uma reunião com o ministro do STF, Alexandre de Moraes, para intervir em favor dos vândalos.

Sem apresentar provas, Do Val afirmou em publicação nas redes sociais que o presidente Lula (PT) e o ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), sabiam que os ataques terroristas ocorreriam e não agiram para impedir.

Como se organizaram os atos terroristas em Brasília? A linha do tempo interativa abaixo te mostra, clique e explore:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Obras de arte foram destruídas, itens roubados e o prejuízo ainda é calculado pelas autoridades. Veja a lista completa de obras destruídas nos ataques. Até o fim da segunda (10), pelo 1.500 envolvidos no episódio já haviam sido presos.