Marcos Mion critica decisão do STJ sobre rol da ANS: 'negativa de tratamento mata' . Veja vídeo

Após a decisão do Superior Tribunal de Justiça, de que os planos de saúde não precisarão cobrir tratamentos e serviços médicos que não estiverem na lista de coberturas obrigatórias da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o apresentador Marcos Mion foi às redes criticar a decisão. Em post publicado em seu perfil no Instagrem, Mion disse que "a negativa de um exame, uma cirurgia, um tratamento, mata".

Rol da ANS: Saiba em que casos procedimentos não listados deverão ser cobertos pelas operadoras

Eletrobras: Preço das ações será definido hoje. Entenda a privatização, que deve ser maior operação da Bolsa em 2022

Daslu: Ex-templo de luxo é arrematado por R$ 10 milhões, mas briga na Justiça pode travar negócio

Por seis votos a três, a Corte decidiu pela taxatividade do rol da ANS. Na prática, isso significa que será muito mais difícil que usuários de planos de saúde obtenham na Justiça cobertura de procedimento não listados pela agência reguladora.

Até agora, o entendimento era que a cobertura devia ser "exemplificativa", sendo o rol apenas um indicador da cobertura mínima.

Passo a passo: Quer tirar a cidadania portuguesa? Saiba como

Mion, que tem um filho autista e é uma das vozes contra a taxatividade, já havia gravado um vídeo antes do julgamento defendendo o entendimento anterior. Após a decisão, o apresentador gravou novo vídeo criticando a mudança.

Disse que era "um absurdo sem tamanho que coloca em risco a vida de milhões de pessoas que dependem de um plano de saúde". Veja abaixo:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos