Marcos Palmeira e Dira Paes são homenageados no Festival de Gramado

Marcos Palmeira, Dira Paes e Otávio Müller foram alguns dos homenageados na 50ª edição do Festival de Cinema de Gramado, que acontece desde a última sexta-feira (12) em Gramado, no Rio Grande do Sul, e vai até o próximo sábado, 20 de agosto.

Intérpretes de José Leôncio e Filó em "Pantanal", atual novela das 21h da Globo, Palmeira e Dira eternizaram suas mãos na Calçada da Fama do festival e o ator ainda levou o Troféu Oscarito, que homenageia os grandes atores e atrizes do cinema nacional. Na edição de 2017, a atriz também já foi premiada com a estatueta.

Otávio Müller também eternizou suas mãos na Calçada da Fama do festival e foi prestigiado pelo amigo, o ator, cantor e músico André Abujamra, com quem trocou um selinho no tapete vermelho do evento. Outros famosos como as atrizes Bárbara Paz e Jéssica Ellen; os atores Nando Cunha, Augusto Madeira e Tarcísio Filho; e o apresentador Zeca Camargo também aproveitaram a celebração dos colegas.

O Festival

A 50ª edição do Festival de Cinema de Gramado acontece após dois anos sem eventos presenciais. Durante os próximos dias, atores, diretores, roteiristas e produtores passarão pelo Palácio dos Festivais para compartilhar as suas produções cinematográficas.

Neste ano, a mostra ainda herda características pandêmicas, mas retorna de forma mais robusta ao formato presencial. Se nos dois últimos anos, a programação esteve concentrada na televisão e no streaming, agora apenas algumas seções exibem seus títulos por lá. A mostra de longas-metragens brasileiros, a principal, deve encher novamente o cinema até o dia 20 de agosto, por exemplo.

Para ela foram selecionadas sete obras -"A Mãe", de Cristiano Burlan; "A Porta ao Lado", de Julia Rezende; "Marte Um", de Gabriel Martins; "Noites Alienígenas", de Sérgio de Carvalho; "O Clube dos Anjos", de Angelo Defanti; "O Pastor e o Guerrilheiro", de José Eduardo Belmonte, e "Tinnitus", de Gregório Graziosi.

Elas concorrem ao Kikito, o grande prêmio do festival, e são quase todas atravessadas por questões sociais, pelo furor político atual e pelo histórico de violência da sociedade brasileira.