Margem consignável de servidores do município do Rio aumenta para 55%

·1 min de leitura

Já está valendo a nova margem consignável dos servidores do município do Rio, de 55%. A lei que ampliou o limite, antes de 40%, foi publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial. A norma vale para ativos, aposentados, pensionistas e empregados públicos da administração municipal.

Viu essa? Com alta da inflação, Câmara do Rio planeja negociar recomposição salarial para servidores municipais com a prefeitura

Margem consignável é o percentual do salário bruto que pode ser comprometido com descontos facultativos diversos, desde pensão alimentícia e previdência privada até empréstimos.

Segundo a lei sancionada, se o servidor tiver prestações de financiamento de imóvel consignadas, a margem poderá ser elevada em 30%, chegando a 85% da remuneração mensal. O mesmo será permitido se houver descontos em folha determinados por decisão judicial.

O texto ainda será regulamentado pela Prefeitura do Rio, que propôs o projeto de lei. A matéria é baseada em um levantamento da Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento do Rio, que identificou que 42,5% dos funcionários públicos que têm crédito consignado renegociaram suas dívidas em 2020, para ampliar o prazo de pagamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos