Margot Robbie mostra Arlequina agora heroína em continuação de 'Esquadrão Suicida'

FABIANA SCHIAVON
SÃO PAULO, SP, 05.12.2019: COMIC-CON - Atriz Margot Robbie durante o painel da Warner Bros, que divulga o filme baseado nos quadrinhos da DC, Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa - 6ª edição da Comic Con Experience (CCXP), que começa nesta quinta (5), em São Paulo. O evento acontece na São Paulo Expo entre os dias 5 a 8 de dezembro. (Foto: Suamy Beydoun/Agif/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Margot Robbie, 29, abriu o painel de "Aves de Rapina" na Comic Con Experience (CCXP), nesta quinta-feira (5), em São Paulo, revelando a primeira cena do filme, que chega aos cinemas em fevereiro de 2020.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Foi a própria atriz, intérprete da protagonista Arlequina, que teve a ideia de fazer o longa e que o produziu. "O filme ainda não foi concluído, mas podemos mostrar a primeira cena em primeira mão", afirmou Margot Robbie para delírio dos fãs. 

Leia também

O longa é uma continuação de "Esquadrão Suicida", que narrou como a vilã se apaixonou por Coringa, personagem vivido por Jared Leto.

A primeira cena mostra Arlequina tentando se curar do coração partido, tomando uma atitude para se tornar uma nova mulher e, agora, uma heroína que vai combater os vilões de Gotham City.

É quando ela conhece Caçadora (Mary Elizabeth Winstead), Cassandra (Ella Jay Basco), Canário Negro (Jurnee Smollet-Bell) e Renée (Rosie Perez), e o grupo forma as "Aves de Rapina".

"Eu não estava pronta para deixá-la [Arlequina] depois de 'Esquadrão Suicida'. Comecei a ler os quadrinhos e fiquei apaixonada pelos outros personagens e queria ver mais mulheres na tela do cinema", afirmou Robbie.

O elenco reforçou que o filme é uma produção feminista e que toca em muitas questões. A atriz Jurnee Smollet-Bell disse que fazer tantas cenas de luta mexeu com a noção que ela tinha de seu corpo. "Somos sempre tão objetificadas e pude ver quanta força o nosso corpo tem." 

A diretora Cathy Yan agradeceu Robbie por ter tido a ideia de investir na produção. "É uma história sobre mulheres, é sobre empoderamento. Vamos mostrar a Gotham City colorida, na visão de Arlequina", disse a diretora.