Mariah Carey: justiça nega a estrela direitos para ser a única 'Rainha do Natal'

A justiça dos Estados Unidos decidiu que a cantora Mariah Carey não pode ser a única “Rainha do Natal”. A estrela havia entrado na justiça em março de 2021 para tentar registrar o termo. Quando o caso se tornou público, em julho de 2022, a cantora Elizabeth Chan apelou contra. A informação foi divulgada em comunicado oficial da Comissão de Julgamento e Apelação de Marca Registrada dos Estados Unidos, nesta terça-feira.

Mariah é intérprete da canção “All I want for Christmas is you”, sucesso natalino lançado em 1994 que, quase 30 anos depois, voltou para o topo das paradas. Depois de viralizar nas redes sociais em 2019 e ter ganhado um novo clipe para celebrar o marco, desde então a música ocupa o primeiro lugar todos os anos na época do Natal.

Bom velhinho: Temporada de filmes de Natal começa com estreias e canal 24 horas dedicado ao tema

Miguel Falabella: Ator viverá o avarento Ebenezer Scrooge em espetáculo de Natal

“Esse foi um caso clássico de bullying de marcas registradas. Estamos satisfeitos com a vitória e muito satisfeitos por termos conseguido ajudar Elizabeth a lutar contra os registros de marcas exagerados da Mariah Carey”, disse o advogado de Elizabeth, em um comunicado.

Elizabeth é uma artista independente com menos holofotes que Mariah. Em comunicado divulgado após o resultado da batalha judicial contra a intérprete de “All I want for Christmas is you”, a cantora afirma que seu histórico de apresentações nas festas de fim de ano deu para ela a alcunha de “rainha do Natal”, como é conhecida por seus fãs.

"Uso esse título como um distintivo de honra e com pleno conhecimento de que será - e deve ser - concedido a outros no futuro", disse a cantora. "Natal é uma época de dar, não de receber, e é errado um indivíduo tentar possuir e monopolizar um apelido como Rainha do Natal para fins de materialismo abjeto", concluiu.

Elizabeth lançou, neste ano, um álbum chamado “Rainha do Natal”.