Maricá vacina crianças com comorbidades ou deficiência permanente e diz que doses são insuficientes para todo público infantil

·2 min de leitura

Depois de vacinar as crianças indígenas na última sexta, Maricá seguiu o cronograma de vacinação infantil contra a Covid-19 neste sábado com as crianças com comorbidade ou deficiência permanente. O município foi o primeiro no estado a aplicar a vacina pediátrica e recebeu 820 doses do imunizante.

— Pelo planejamento inicial, iríamos vacinar o grupo prioritário também na sexta. Mas como houve um atraso na chegada das doses, que seria no início da tarde, passamos para hoje. Este grupo tem 300 crianças cadastradas. Teve uma criança que estava agitada inicialmente e depois da vacina pediu para colocar o curativo, para mostrar às pessoas. Está sendo muito gratificante — avalia a secretaria municipal de Saúde, Solange Oliveira, que completa: — Com este quantitativo, não é possível ainda iniciar a idade de 11 anos.

O local de vacinação no município foi no Serviço de Atendimento de Reabilitação Especial de Maricá (Sarem), entre 9h e 13h. Uma das crianças a receber o imunizante foi Beatriz Almeida, de 9 anos.

— Ela nasceu com Ictiose Lamelar, uma deficiência na pele que faz ela ter uma imunidade mais baixa a infecções, por ter menos uma camada de proteção. Beatriz é mais consciente do que muitos adultos. Quando tem alguém sem máscara em um lugar, ela pede para sair, diz "Olha lá, mãe. Parece que a pandemia acabou" — explica a professora Tânia Almeida, de 41 anos, mãe da menina.

Outra mãe que teve a sua dose de alívio hoje foi a auxiliar administrativa da prefeitura Dayane Oliveira, que levou ao posto o pequeno Mateus Oliveira, de 5 anos, que tem autismo. Com o avanço da variante Ômicron e a indefinição do início das aplicações, desde a aprovação da vacina pediátrica da Pfizer pela Anvisa, em dezembro, a apreensão por vacinar o filho ficou ainda maior.

— É emocionante. Ficamos ainda mais na expectativa com este surto de agora. Eu trabalho na área de saúde aqui também, que traz mais risco e toda uma preocupação — resume a mãe, que celebrou o momento com o marido e pai do menino, Fernando Afonso, de 31 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos