Marido de Angela Merkel diz que alemães recusam vacina anticovid por "preguiça"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Habitualmente reservado, o marido da alemã chanceler Angela Merkel, Joachim Sauer, ganhou os holofotes nesta terça-feira (23) depois de criticar o comportamento da população, diante da nova onda de Covid-19 no país.

"É surpreendente que um terço da população não siga as recomendações científicas. Isso se deve em parte a uma certa preguiça e ao comodismo dos alemães", afirmou Joachim Sauer, ao jornal italiano La Repubblica. A entrevista foi republicada pelo diário alemão Die Welt.

O marido de Merkel ainda comentou que há um outro grupo dentro da população alemã, "em todos os níveis educacionais, incluindo acadêmicos, médicos e cientistas", que prefere seguir suas convicções pessoais. Segundo Sauer, "é como uma reação ideológica ao que consideram uma ditadura da vacinação".

Questionado sobre a atual "rejeição ao conhecimento científico", Sauer, que é pesquisador em física quântica, considerou que "essa atitude provavelmente sempre existiu em algumas pessoas, mas nunca foi tão evidente como agora". "Hoje assistimos, porém, a um grande sucesso da ciência. Ninguém poderia apostar que teríamos uma vacina em tão pouco tempo. Foi um milagre", afirmou.

"Mas, paradoxalmente, o resultado obtido em um ano para a Covid-19 não foi alcançado em 30 anos de pesquisas científicas sobre meio ambiente, embora ainda não vejamos a solução para o problema", acrescentou. Por isso, para ele, "a ciência é importante e seria bom se mais jovens se dedicassem a ela".

Baixa taxa de vacinação

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Covid-19: Alemães estarão "vacinados, curados ou mortos" até o fim do inverno, diz ministro do país
Covid-19: diante de superlotação de hospitais, Alemanha transfere paciente à Itália
Covid-19: Alemanha registra 50 mil casos e não-vacinados sofrerão restrições

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos