Marido da presidente da Câmara dos Deputados dos EUA é agredido com um martelo em casa

Imagem de vídeo mostra porta destruída na casa da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi.

Por Andy Sullivan e Brendan O'Brien

WASHINGTON (Reuters) - Um homem empunhando um martelo atacou o marido da presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, durante uma invasão à casa do casal, em São Francisco na sexta-feira, disseram autoridades, em um ataque que levantou temores sobre violência política antes das eleições de 8 de novembro.

Paul Pelosi, de 82 anos, foi levado ao hospital e espera-se que se recupere totalmente, disse o gabinete de Pelosi.

O homem preso no local, David Depape, 42, será acusado de tentativa de homicídio, agressão com arma mortal e várias outras acusações criminais, disse o chefe de polícia de San Francisco, William Scott.

A presidente democrata da Câmara dos Deputados dos EUA, que é a segunda na linha de sucessão da presidência dos Estados Unidos, estava em Washington com sua equipe de proteção no momento do ataque, segundo a Polícia do Capitólio.

As autoridades disseram que ainda estão investigando um motivo para o ataque, que aconteceu nas primeiras horas da manhã.

A CNN, citando uma fonte, informou que o agressor gritou "Onde está Nancy?" antes do ataque e disse à polícia que estava "esperando por Nancy" quando chegaram ao local.

Não ficou claro como o intruso entrou na casa de tijolos vermelhos de três andares no bairro nobre de Pacific Heights. Fotos aéreas mostraram vidro quebrado em uma porta nos fundos da casa. Ruas ao redor da residência foram interditadas na manhã desta sexta-feira.

O ataque ocorreu menos de duas semanas antes das eleições de meio de mandato, nas quais o controle da Câmara e do Senado dos EUA estão em jogo.

Scott disse que a polícia foi enviada para a casa às 2h27, no horário local do Pacífico (6h27 no horário de Brasília), onde encontraram Depape e Paul Pelosi segurando um martelo, antes de Depape puxar o martelo e atacar Pelosi.

A polícia desarmou e prendeu Depape e levou os dois homens para um hospital para tratamento, disse Scott.

O chefe de polícia se recusou a responder a perguntas e disse que a polícia forneceria mais detalhes posteriormente.

Paul Pelosi estava sendo tratado por hematomas, inchaço grave e outros ferimentos depois de ter sido severamente espancado na cabeça e no corpo, informou a agência Associated Press, citando duas fontes com conhecimento da investigação.

O presidente norte-americano, Joe Biden, ligou para Pelosi para expressar seu apoio, segundo a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre.

Como líder democrata em Washington e representante de longa data de uma das cidades mais liberais dos Estados Unidos, Pelosi, de 82 anos, é alvo frequente de críticas republicanas e frequentemente é atacada em propagandas.

Seu escritório foi saqueado durante o ataque de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio dos EUA por apoiadores do então presidente republicano Donald Trump, alguns dos quais a caçaram durante o ataque.

Em janeiro de 2021, sua casa foi vandalizada com pichações dizendo ""Cancele o aluguel" e "Queremos tudo" pintados na casa e uma cabeça de porco foi deixada na frente da garagem, segundo reportagens da imprensa.

A casa de McConnell também foi vandalizada nessa época.

Em um clima politicamente polarizado, as ameaças contra legisladores republicanos e democratas têm aumentado. A Polícia do Capitólio disse que investigou 9.625 incidentes em 2021, quase um aumento de três vezes em relação a 2017.

Um atirador irritado com Trump atirou e feriu cinco membros republicanos do Congresso em um treino de beisebol em 2017, e a democrata Gabby Giffords foi baleada na cabeça em uma aparição pública em 2011.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS TR PB