Marília Mendonça: música inédita chega ao 1º lugar das mais ouvidas no Spotify

Marília Mendonça na capa de
Marília Mendonça na capa de "Decretos Reais: Vol. 1", álbum póstumo da artista, morta em novembro de 2021 em um acidente de avião (Foto: Divulgação)

Não há dúvida de que Marília Mendonça deixou milhares de fãs órfãos de sua música, quando morreu em novembro de 2021, e eles provaram isso ao colocar a música inédita "Te Amo Demais", do EP "Decretos Reais: Vol. 1", no primeiro lugar das 50 músicas mais tocadas no Spotify no Brasil.

O sucesso veio apenas um dia após o lançamento do disco póstumo, na sexta-feira (22), quando Marília completaria 27 anos. Além de "Te Amo Demais", as outras três músicas do compilado entraram para o Top 50 brasileiro, que é atualizado diariamente: "Te Amo Que Mais Posso Dizer" ficou em 7º lugar; "Não Era Pra Ser Assim" em 9º; e "Sendo Assim/Muito Estranho (Cuida Bem de Mim)" em 14º.

A conquista ainda tirou "Pipoco", parceria entre Melody, Ana Castela e DJ Chris No Beat, do topo da lista. Agora, a música está em terceiro lugar, atrás também de "Cachorrinhas", novo lançamento de Luísa Sonza. Recentemente, Marília se tornou a primeira brasileira a atingir 8 bilhões de reproduções.

E "Decretos Reais: Vol. 1" não é a única novidade sobre Marília: na última quinta-feira (21), Ludmilla anunciou que lançará "Insônia", parceira inédita com a Rainha da Sofrência, no próximo dia 12 de agosto. Por fim, ela também ganhou a biografia "Marília Mendonça, Rainha da Sofrência: Biografia e Crítica", escrita pelo jornalista Bruno Ribeiro. A obra narra a história de vida de Marília e apresenta também 20 letras de músicas comentadas.

Morte de Marília Mendonça

Marília Mendonça morreu após a aeronave em que estava colidir com cabos de alta tensão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O avião ia de Goiânia a Caratinga, em Minas Gerais, onde Marília se apresentaria naquela noite. Junto com ela, estavam o seu produtor, Henrique Ribeiro, e o tio e assessor, Abicieli Silveira Dias Filho, além do piloto e co-piloto do avião. Todos morreram no acidente.

Marília tinha mais de dez anos de carreira, tendo começado como compositora e depois encabeçado o fenômeno conhecido por "Feminejo", ao lado de nomes como Naiara Azevedo e a dupla Maiara e Maraisa, com quem gravou o seu último trabalho, o álbum "Patroas". Ela deixou o filho, Léo, fruto do relacionamento com Murilo Huff, que completou dois anos em dezembro passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos