Marina encontra com Lula e apresenta propostas ambientais

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a ex-ministra Marina Silva (Rede) se reuniram neste domingo, quando a agora candidata a deputada federal apresentou propostas para um futuro governo, num encontro que sela a reaproximação dos dois após longo período de distanciamento.

A história de luta ligada ao meio ambiente fez com que Marina, filiada ao PT, na época, fosse um dos primeiros nomes anunciados para o ministério do primeiro mandato de Lula.

Ela deixou o governo em 2008 em clima turbulento. Depois disso, foi candidata a presidente em 2010, pelo PV, em 2014, pelo PSB, e em 2018, pela Rede, partido que ajudou a fundar. Neste ano a Rede formou com o PSOL uma federação partidária que apoia a candidatura de Lula.

"Hoje, a meu convite, depois de muitos anos, reencontrei com

@MarinaSilva", tuitou o ex-presidente neste domingo.

"Relembramos da nossa história, desde quando nos conhecemos. Conversamos por duas horas e ela me apresentou propostas para um Brasil mais sustentável, mais justo e que volte a proteger o meio ambiente", acrescentou Lula.

Os dois devem detalhar, em coletiva prevista para a manhã de segunda-feira, o encontro e as propostas.

O encontro entre Lula e Marina encerra um longo período de mal-estar e, há quem diga, mágoa. A ambientalista anunciou sua saída do governo em 2008 após atritos, especialmente, com o Ministério da Agricultura e com a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Pouco mais de um ano após deixar a pasta, Marina decidiu sair do PT, partido no qual permanecera por 24 anos.

Uma das fundadoras da Rede Sustentabilidade, movimento mobilizado por ela sob o mote de uma "nova política", Marina tem vasta trajetória de ambientalista e militou ao lado de Chico Mendes, assassinado em 1988. Evangélica, representa parcela do setor religioso que não apoia o principal adversário de Lula na disputa eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro (PL).