Marina Silva: 'Brasil não vai mais para a COP como chantagista'

COP27: Marina Silva irá com Lula ao evento no Egito (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
COP27: Marina Silva irá com Lula ao evento no Egito (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • COP27 acontece no Egito até o dia 18 de novembro

  • Marina Silva fará parte da comitiva de Lula no evento

  • Ex-ministra concedeu entrevista nesta terça-feira (8)

A deputada eleita e possível ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (Rede-SP), acredita que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será a "grande estrela" na COP-27, que acontece no Egito até o dia 18 de novembro.

De acordo com a parlamentar, “há a expectativa de que o Brasil volte à cena das políticas ambientais globais, sobretudo na agenda de clima”. A ex-ministra viaja na madrugada desta quarta (9) para a convenção.

“O Brasil não vai mais para a COP na condição de país chantagista, que vai chantagear os países ricos, dizendo que só vai proteger a Amazônia se nos pagarem para isso. O compromisso do Brasil sempre foi proteger a Amazônia e os biomas brasileiros. É uma decisão estratégica, política e ética do Brasil”, disse, em entrevista à GloboNews nesta terça-feira (8).

Marina aponta que a COP-27 está mais voltada à implementação de políticas.

“Na situação que a Europa está vivendo, com a guerra na Ucrânia, a entrada do Brasil na cena ocupa um lugar de fundamental importância. Se a Europa está com dificuldade de reduzir suas metas e se o Brasil continuasse na mesma pegada de destruição, estaríamos comprometendo qualquer possibilidade de estabilizar a temperatura da terra em 1,5ºC. A entrada do Brasil é celebrada duplamente", afirmou.

Cotada para assumir a pasta de Meio Ambiente, Marina disse que, agora, Lula está focado na transição e só posteriormente “vai dar conta do recado imenso de reconstrução das políticas públicas, de toda a governança ambiental”.

A parlamentar disse ainda se sentir bem por estar contribuindo nessa nova etapa da política ambiental no Brasil. “Pude verificar que só de termos essas sinalizações, grandes fundos de investimento já voltaram a investir no Brasil".

"Depois desse terrível inverno, do Brasil trancado para fora na condição de pária ambiental, que ninguém queria chegar perto, a gente poder novamente estar sinalizando de forma muito clara essas ações que podemos reassumir, como assumimos no passado, é muito animador", complementou.

Além de Marina, Lula vai participar da Conferência das Partes sobre o Clima (COP-27), em Sharm El Sheik, nos dias 17 e 18 de novembro.

O presidente eleito foi convidado primeiro pelo governador reeleito do Pará, Helder Barbalho (MDB), em nome do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, e na sequência pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pelo presidente do Egito, Abdul Khalil El-Sisi.