Marina Silva diz que campanha de Bolsonaro 'manipula religião e a própria Michelle'

Marina Silva declara apoio ao ex-presidente Lula, em 12 de setembro, 2022 (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Marina Silva declara apoio ao ex-presidente Lula, em 12 de setembro, 2022 (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)

Candidata a deputada federal, Marina Silva (Rede) disse nesta terça-feira (13) que a campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) manipula a religião e a própria primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Em entrevista ao portal UOL, a ex-ministra do Meio Ambiente, que declarou apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na segunda (12), afirmou que não julga a fé de ninguém, mas que fundamentalismos não são bons.

“Me preocupo com a manipulação da fé e da política. Fundamentalismos não são bons, nem político, nem evangélico. Agora, quando as duas coisas se encontram, aí temos uma questão letal”, avaliou.

Marina falou sobre as notícias falsas divulgadas por bolsonaristas de que Lula vai fechar igrejas se for eleito. Ela lembrou que o petista foi presidente por dois mandatos e não existe uma igreja que tenha sido fechada por ele.

“Você pode, sim, ter sua fé, pode ter uma fala que passa por essas questões, mas não pode dizer que Lula vai fechar igrejas. Esse tipo de mentira não serve à política, não serve à fé cristã evangélica. Essas manipulações são um uso do nome de Deus em vão.”

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)